Kingdom: New Lands, um jogo que é amor ao primeiro start


Masterizar é uma palavra que eu gosto bastante, embora ela não exista nos dicionários (pelo menos não na forma que eu uso) ela existe no meu círculo de amigos e em alguns posts mais ousados do Vértice. Ela obviamente é uma tradução inventada de “to master” que vem do termo “Easy to learn, hard to master”, ou no meu português pessoal “Fácil de aprender, difícil de masterizar”. E por que eu estou dizendo isso?  Porque eu quero falar de Kingdom: New Lands.

Num final de semana comum passeando pela loja de meu Xbox One eu encontrei esse pequeno jogo indie que oferecia uma prova de 30 minutos gratuita e decidi que queria dar uma pausa no meu jogo atual por algo mais novo e mais light. E foi amor ao primeiro start, mas eu idealizei o jogo em algumas coisas, ele não é nada light.


Kingdom: New Lands não é um joguinho casual para se distrair, na verdade o jogo é decididamente frustrante se você não o masterizar a tempo.

A ideia do game é que você é um rei ou uma rainha pixelada em um reino desconhecido, igualmente pixelado. Você tem algumas moedas de ouro e alguns súditos para contratar, após contratar os seus súditos, você deve lhes comprar ferramentas, depois construir seu castelo, com muralhas fortes o suficiente para aguentar os ataques de monstros sombrios durante a noite.

O jogo é um survival onde você deve fazer de tudo para proteger a sua coroa, enquanto junta as moedas necessárias para montar um navio e se mudar para uma nova ilha. O jogo a princípio é fácil o suficiente para você entender que deve jogar moedinhas para seus súditos, comprar ferramentas e armas para que eles se defendam, criem coisas e enfrentem os monstros, mas é difícil o suficiente para que você tenha que jogar e perder diversas rodadas tentando entender a melhor forma de conseguir novas moedas e a melhor forma de gasta-las, até chegar ao ponto em que você pode acabar todo dia gastando tudo o que tem apenas para sobreviver e algumas vezes você gasta suas moedas em uma única coisa errada e esso é o fim de seu reino.


Uma das coisas interessantes é que o jogo não é apenas sobre sobreviver entre as muralhas de seu reino, mas também sobre explorar o local em que ele foi fundado, o que só pode ser feito durante o dia ou você se arrisca a perder o jogo (que tem permadeath) para algum monstrinho noturno. O interessante é que durante o dia você em que tomar cuidado ao entrar em áreas mais densas da floresta, pois é difícil saber que horário do dia é sem o sol que está escondido atrás das árvores, o que pode facilmente fazer você se perder no tempo e ser derrotado por isso, o que gera outros dilemas como o fato de existir a possibilidade de você enviar um súdito cortar as árvores das florestas, mas se esses súditos não voltarem antes de cair a noite você se arrisca a perder um súdito de uma moeda e o pior, uma ferramenta de três moedas.

Os estúdios Licorice e Noio realmente redefiniram a profundidade de gameplay de jogos de sobrevivência e estratégia dando uma profundidade impressionante, que certamente vai te proporcionar muito mais horas de gameplay e diversão do a maioria dos jogos AAA por aí. Kingdom: New Lands é certamente uma pérola indie que você tem que testar.
Patreon de O Vértice