Crítica | Penny Dreadful 2x02 - Verbis Diablo

Evelyn Poole tem mais surpresas escondidas.


A escuridão continua a cercar Londres, e mais uma vez nos encontramos para conversar sobre Penny Dreadful. O segundo capítulo da temporada, intitulado “Verbis Diablo”, chega para preencher algumas das dúvidas deixadas pela premiere e nos dar mais pistas do rumo que a temporada seguirá. Então, se ajeite na cadeira, e vamos fazer mais esse passeio pelo terror.


A série, assim como na temporada passada, esta desenvolvendo vários plots, todos eles importantes, todos eles estão conectados e provavelmente – como na temporada anterior – levarão ao grande confronto da Season Finale. Para ficar mais organizado, discorrerei sobre cada um desses plots, sem é claro, desconsiderar as ligações existentes entre eles.


Quero começar com as tramas centradas em Sir Malcolm. Na temporada passada, o líder desta Liga Extraordinária tinha um objetivo claro: encontrar e salvar Mina. Quando essa jornada terminou, ele tomou para si a tarefa de proteger Vanessa, de tentar compensar todos os erros que ele cometeu com seus outros filhos e reparar os danos que foram infligidos a nossa querida Srtª Ives. E ele está honrando a tarefa autoimposta, reunindo seus aliados para tentar desvendar o Verbis Diablo e achar uma maneira de proteger Vanessa.


Entretanto, Sir Malcolm também figura numa trama em que ele tem pouco ou nenhum controle. Porque do lado das Bruxas, – Bruxas essas que “mostraram como se faz” a outras produções do gênero – Evelyn Poole começou a colocar em prática seus planos para tirar a atenção de Sir Malcolm, e ele parece estar caindo direitinho...


Já numa outra trama central, e enquanto Vanessa luta contra seus medos, agora atormentada pela promessa de agonia eterna imposta por Evelyn no episódio passado, Victor e Caliban – ou seria John Clare? – tentam fazer Brona/Lily compreender a linguagem e evoluir de volta a completa funcionalidade humana.


Infelizmente para o jovem Frankenstein, Brona/Lily não parece ter interesse algum pela Criatura, tendo ficado fascinada com o Criador. O nosso perturbado Doutor esqueceu que, a novamente loira – para a alegria de cada whovian que existe – Rose Tyler tem um “fraco” por Doctors (sim, foi intencional. #IamAWhovian).


Enquanto isso, Vanessa e Caliban/John Clare têm seu primeiro encontro e a discussão sobre fé e religão entre eles foi muito interessante. A série transita muito por esses conceitos, sagrado, divino, e considerando que por ser um Lupus Dei é que Ethan foi capaz de ajudar Vanessa em sua possessão na temporada passada, contrastar o ateísmo científico – que se originou no Criador e é parte inerente da Criatura – de John Clare, trazido de volta dos mortos por um cientista louco e a fé de Vanessa, temente ao Divino, foi sensacional. E como se isso não fosse o suficiente, a série ainda tem que nos presentear com mais uma de suas fantásticas referências. O escolhido da vez foi um dos poemas mais celebres de William Blake.


Já numa trama que foi deixada em stand-by por hora, continuam as investigações para descobrir quem é responsável pela mais recente chacina de Londres. E agora que o Inspetor encontrou o sobrevivente, me pergunto quanto tempo levará até que Ethan seja mencionado.


Finalmente revemos Dorian Grey, que parece estar... “na pior” depois dos acontecimentos envolvendo Vanessa na temporada passada. Embora não sem alguma forma de... “entretenimento”.


Como o próprio título antecipou, o Verbis Diablo teve sua participação na trama do episódio, resgatando Ferdinand Lyle, o especialista em línguas mortas da temporada passada, para uma série de piadas ao estilo “that’s what she said" entre ele e Ethan. É claro, tivemos um pouco mais de contexto sobre o Verbis Diablo, embora sinta falta de um aprofundamento mais teórico na língua.


Não foi de todo uma surpresa descobrir que Leland estava a serviço de Evelyn por todo o tempo, já que foi ele quem a introduziu na temporada passada. Menos ainda ter uma confirmação de que a influencia dela sobre ele é derivada de evidências de “Sodomia”.


Para terminar, Hecate, que parece ter adiado por hora a tarefa de “lidar” com Ethan, trouxe uma encomenda um tanto macabra para acrescentar ao hall de esquisitices que é a Mansão dos Ossos de Evelyn Poole. E depois de contemplar mais um dos salões daquele lugar, me pergunto o que mais ela pode esconder.


Por hora é isso. Quero muito saber o que Evelyn fará com a sua mais nova “boneca”, e mais ainda, o que acontecerá caso Brona/Lily recuse Caliban para ficar com Victor. Infelizmente, teremos que esperar pelo próximo episódio para descobrir isso e muito mais. Então, vejo vocês lá!

Patreon de O Vértice