Crítica | Jane the Virgin 1x20 - Chapter Twenty


“Santos is back, baaaaaby!”



Aparentemente, o ressurgimento dos plots esquecidos é o novo “pretinho básico” de Jane the Virgin. Depois de muito tempo e de vários episódios sem nem mencionarem o nome de Luisa, ela voltou após uma questionável viagem ao Peru, onde conquistou uma substituta para Rose, uma lutadora profissional chamada Juicy. Além disso, tivemos a volta de Magda, o fruto das maldades que aparentemente passaram geneticamente para Petra.


O clima de luta abordado pelo episódio foi divertido para variar das típicas projeções da consciência de Jane, que vive cercada de dúvidas previsíveis e, dessa vez, deu uma folga ao público. Não que isso não seja interessante, mas a mesma abordagem surgindo todos os episódios estava cansando e dando um aspecto de ‘mulher heroína perfeita’, e nós todos sabemos que não existe ninguém assim. Ou seja, assim como já disse antes, já passou da hora de abordar os erros e defeitos de Jane e seu aprendizado a partir disso.


Quem diria que veríamos Xiomara correndo atrás de Rogelio com tanto desespero? Agora, podemos ver claramente que Rogelio se tornou mais maduro durante a temporada e, apesar da dificuldade em escutar Xo, ele não tem se portado como uma estrela fútil como costumava ser. O mais engraçado nesse personagem é que ele gosta de ser famoso e ter alguns ataques de estrelismo, mas, agora, com maior equilíbrio, ele parece ser muito mais interessante que no começo. E sua volta como El Presidente na novela poderá fortalecer a parte cômica da série.


Uma dúvida que não quer calar: Petra é malvada ou ela age assim pelo sofrimento em seu passado? Às vezes, acho muito confusa a forma como ela é abordada. Em alguns momentos, ela se mostra uma pessoa que só age dessa maneira por causa do seu passado e por sentir que sua vida cheia de mentiras só piorará se ela fizer algo de bom ou contar uma verdade. Ela está mesmo apaixonada pelo Rafael? Não faz muito sentido, uma vez que ela nunca sentiu nada por ele durante todo seu casamento e nunca fez esforço para nada além de tentar pegar uma parte de seu dinheiro. Portando, está na hora de esclarecer!


Sinto que a partir de agora não há desculpas para episódios ruins. Essa luta de Jane pela guarda da criança tem o poder de trazer muitos plots emocionantes, dividindo o público em #TeamJane ou #TeamRafael. Não vejo a hora dessa briga começar! Ah, claro, sem esquecer Rafael vs. Michael.


Obs: Gina Rodriguez foi brilhante na cena em que chorou por virar mãe solteira. Honrou seu Globo de Ouro!

Patreon de O Vértice