Crítica | Daredevil 1x08 - Shadows in the Glass


“My name is Wilson Fisk”



Depois de tanto tempo, finalmente voltamos a nos encontrar para discutir um pouco mais sobre Daredevil! Chegamos ao oitavo capítulo da nossa jornada, intitulado “Shadows in the Glass”, outro episódio focado em Wilson Fisk.


Antes de começar, entretanto, quero comemorar a notícia de que Rosario Dawnson – a.k.a. Claire – estará oficialmente na segunda temporada da série. Se antes eu já estava ansioso pela volta da série – que, infelizmente, só retorna em 2016 – agora mal posso esperar. Bom, teremos outras surpresas Marvel-Netflix para nos entreter nesse meio tempo.


Partindo para o episódio em si, quero começar quase pelo final, mais especificamente o encontro entre Matt e Ben Urich. Inegavelmente nenhum dos outros personagens realmente teve espaço neste episódio. Não digo isso como uma crítica, já que centrar esse episódio no Rei do Crime e o reapresentar, ampliar o personagem, foi uma ótima escolha, mais ainda porque se considerarmos bem a situação, Matt já causou tantos problemas aos negócios que era de se esperar que o Rei do Crime começasse a ser vítima da desconfiança de seus aliados.


Matt, Karen e Foggy agora estão na mesma página com relação às investigações de Karen e isso pode render mais nos próximos episódios. Matt ter convencido Ben Urich a tentar atingir o Rei do Crime – numa das cenas icônicas em que Ben apresenta reflexões densas em seus textos – também é algo que deve ser aproveitado, já que agora tanto o Matt Demolidor quanto o Matt advogado estão cientes e envolvidos nas investigações. Mas tudo isso realmente “sobra” no episódio.


Já Leland, Madame Gao e Wesley tiveram seus momentos, talvez por serem personagens que harmonizam melhor com as tramas dedicadas ao Rei do Crime. Madame Gao continua se provando cheia de surpresas. Leland já começa a esgotar a minha paciência e a devoção inabalável de Wesley a Fisk só levanta questões sobre o passado desses dois.


No geral, dedicar um episódio ao Rei do Crime funcionou. Não só para mostrar o que o levou a ser quem é, mas para nos apresentar uma construção mais ampla do personagem. Eu achei simplesmente fantástica toda à preparação matinal dele, como se ele fosse uma pessoa normal. A explicação para que ele tenha comprado o quadro e o colocado no quarto, toda a relação com a morte do pai, foi perfeito.


Antes de falar sobre a participação de Vanessa, há outro personagem que quero mencionar. Fisk já havia mencionado antes que Melvin Potter era responsável pelos seus “ternos”. E para os fãs dos quadrinhos, não é um nome estranho, já que acho que todos o relacionaram ao Gladiador, outro dos inimigos do Demônio de Hell’s Kitchen. Embora a série vá lidar com o personagem de maneira diferente – no spoilers! – a oficina dele é cheia de referências aos quadrinhos e a outros vilões.


Agora sim, chegando ao final, resgatar Vanessa para ajudar o Rei do Crime a se restabelecer foi brilhante. Gostei muito de como ele contou a história sobre a morte do pai a ela, mesmo tendo gostado muito da maneira com que os flashbacks dele estavam sendo tratados. E sempre que Vanessa é colocada junto ao Rei do Crime, o personagem é muito humanizado. Com ela vemos um Rei do Crime com dúvidas, inseguranças, medos, atormentado por um passado de abusos. Não que isso justifique as ações dele, mas é como se Vanessa simplesmente anulasse o peso destes outros fatores.


Para terminar, não poderia esquecer das cores. A dinâmica da série com cores é algo que sempre elogio. Até agora, o Rei do Crime abraçava o mesmo visual sombrio escolhido por Murdock em sua cruzada contra o crime. E ele contrastava com a brancura sempre expressa por Vanessa. Quando eles finalmente se acertam, o cinza que surge de se combinar branco e preto passa a ser a escolha de exterior apresentado pelo Rei do Crime, e é o mais próximo do visual clássico do vilão que temos até aqui.


Não vou demorar tanto para escrever o próximo texto – prometo! – até porque Matt e seus aliados agora se encontram numa situação muito complicada, já que, ao se revelar como benfeitor, Fisk removeu a chance que eles tinham de o expor. Então, não poderia demorar muito para comentar o que acontece em seguida. Então, nos vemos em breve!

Patreon de O Vértice