Crítica | Castle 7x23 - Hollander’s Woods [Season Finale]


“Está errado, senhor. Em cada caso que fez referência, não só levei o assassino à justiça com sucesso, mas o fiz com o máximo respeito à lei e ao departamento que represento.”



Terminamos a temporada da mesma forma que ela começou: de forma emocionante, apaixonante, interessante, com um ótimo caso e ótimos momentos Castle e Beckett. Enfim, a série Castle que estamos acostumados a ver todo ano.


Além disso, essa foi uma temporada em que Castle sumiu por dois meses e Beckett não só fez de tudo para encontrá-lo, como nunca duvidou de seu noivo.




“E sobre minha relação com o Sr. Castle. Ele provou ser um parceiro brilhante e sempre me protegeu.”



Foi uma temporada que achamos em que Castle e Beckett não iriam casar tão cedo depois desses acontecimentos e, quando menos esperávamos, ganhamos um casamento em um episódio num universo alternativo. Não poderia ter um timing mais perfeito.


Foi uma temporada em que muitos casos foram inspirados em filmes e séries. Com uma pitada de humor e ótimos momentos.




“E sobre a representação ficcional da minha pessoa, tenho orgulho de ter servido de inspiração e tenho orgulho de ser a esposa dele.”



Foi uma temporada em que finalmente pegamos o infeliz do 3XK. Nunca mais o veremos novamente.


Uma temporada que finalizou com a descoberta do motivo de Castle ter se tornado um escritor de mistérios com um caso totalmente instigante do jeito que uma season finale tem que ser, mais um plus sobre o próximo passado de Beckett que provavelmente retornará em sua vida.




“Perguntou como eu espero liderar. Continuando a lutar pelo que é certo, não pelo que é fácil. Meu trabalho é proteger os cidadãos de Nova York e farei isso trabalhando melhor que os outros e tendo resultados. Eu não passo dos limites. Eu me arrisco. E se tem mais alguma pergunta, pergunte às famílias das vitimas que eu ajudei.”



Em qualquer outra série, um caso desse em um único episódio não seria tão bem finalizado, pois casos assim geralmente precisam de mais episódios para serem bem trabalhados. Mas não em Castle. Com seu texto impecável, com as pistas que não são forçadas, um trabalho excelente de equipe e a memória de Castle, temos tudo que precisamos para um caso bem resolvido.




“Sabe... Eu passei muito tempo nos últimos dias pensando em como cheguei aqui. As longas horas, as páginas em branco. Muita gente acha que escrever é um trabalho solitário, que passamos nossos dias em nossos mundos imaginários, lutando, amando, morrendo. Mas não o fazemos sozinhos.”



Se eu fosse criança e visse um mascarado daquele, provavelmente também escreveria mistérios. Ainda mais por não conseguir resolver o próprio. Eu também agradeceria à equipe com a qual trabalho pelo meu sucesso, por ter chegado aonde cheguei, pois graças a ela consegui desvendar um mistério que me assombrava desde pequeno. E obviamente, nada mais digno do que agradecer à Beckett por isso.




“Pois tudo que é bom na nossa escrita vem da verdade. E a verdade é que... Estou aqui graças às pessoas em minha vida. Mãe, você sempre será a estrela a meus olhos. Alexis, você me maravilha todos os dias. Vocês duas são meus pilares ruivos de amor incondicional. Meus amigos da 12ª delegacia, permitiram que eu fizesse parte. Sobretudo vocês dois, Javier e Kevin. Vocês me consideram seu irmão de arma e agradeço por isso.”



O homem do futuro não estava errado. Pode não ser na próxima temporada, pode ser somente no series finale, mas nós veremos Beckett senadora, e ela e Castle terão 3 filhos sim. Nada em Castle, em episódio nenhum, acontece por acaso. Tudo ganha desdobramentos, mesmo que a gente inicialmente ache que algo é totalmente irrelevante. Eu vejo uma Kate senadora sambista. Eu vejo Castle andando para cima e para baixo para ela, sendo aquele ótimo marido e ainda escrevendo livros inspirado nela, dessa vez em sua nova carreira. Óbvio que Castle é uma série procedural policial. Não cabe ficar matando alguém todo episódio com uma Beckett senadora pra resolver o caso, mas, assim como Kate deu uma passada no FBI, seria interessante vê-la exercendo um cargo político ou, pelo menos, concorrendo para tal cargo. Ela tem bagagem, ela tem um discurso que não é feito só do que as pessoas querem ouvir, ela não faz jogos, ela não mente, ela não joga sujo... Com toda certeza, ela será o diferencial.




“E Kate, 7 anos atrás eu achei que nunca mais escreveria novamente. Então, você apareceu e meu mundo mudou. Você tinha razão, eu nem fazia ideia. Mas, agora, eu faço. Isto é graças a você. Graças a nós. Sempre.”



Castle nunca foi e nunca será reconhecida só pelos seus casos. Desde o primeiro segundo do pilot, com o encontro do escritor com a detetive, nós sabíamos que a série seria bem mais do que casos da semana. E em sete temporadas, ela só vem provando isso. Espero que continue provando por muito mais temporadas pela frente.


Que venha Beckette concorrendo para senadora. E que venha o primeiro baby Caskett!

Patreon de O Vértice