Crítica | Brooklyn Nine-Nine 2x20 - AC/DC


Tramas secundárias superando a principal.



Sim! Depois de mais de um mês de hiatus, Brooklyn Nine-Nine retorna com um novo episódio. “AC/DC” – que ironicamente não teve nada a ver com a banda... – foi um episódio um tanto estranho, já que Holt e Rosa e sua trama do jantar superaram muito a trama da teimosia de Jake, isso sem contar que Amy e Gina roubaram a cena no plot delas.


Mas antes de partir para os detalhes específicos do episódio, quero fazer algumas observações. Primeiro, a série já garantiu há bastante tempo a sua próxima temporada, e talvez essa segurança tenha deixado a produção um pouco “relaxada”. Outra coisa que chama a atenção, é que este foi mais um dos episódios em que Jake “se dá mal”. O episódio anterior, “Sabotage”, também teve sua trama principal focada em Jake tendo problemas, e acho que essa carta já está um tanto gasta. Por último, me pergunto o que veremos na Season Finale, já que chegamos ao episódio 20 sem nenhuma dica. Enfim, observações à parte, vamos aos detalhes do episódio.


A cena da perseguição, mesmo com o acidente de Jake, foi muito boa. Teve todo o clima de perseguição cômica que a série faz tão bem, e sem contar com mais um dos hobbies estranhos de Charles, que é provavelmente a única pessoa na terra que numa tocaia pensa nos filtros que vai usar nas fotos.


Confesso que no começo, essa tensão entre Holt e Rosa por causa do relacionamento dela com o sobrinho dele era um tanto “whatever”, mas a série conseguiu evoluir esse plot de maneira fantástica, nos rendendo um conjunto de cenas simplesmente impagáveis. A primeira cena de Rosa com Holt foi simplesmente espetacular! A tensão dos dois mais parecia a de uma negociação com reféns do que o planejamento de como não ter um jantar “em família” desconfortável (não acho que isso seja possível...).


E como se essa batalha de Rosa e Holt para evitar qualquer assunto pessoal durante o jantar já não fosse o suficiente, eles decidem incluir Amy e Gina, só para garantir. E elas simplesmente roubaram a cena! Já tinha gostado dessa dinâmica entre as duas lá em “Beach House”, e foi muito bom ter essa relação retomada.


A cara de Holt quando Rosa jogou o “I think I may be pregnant” foi impagável! Todo o esforço deles em evitar o desconforto de ter que misturar pessoal e profissional acabou – como é de se esperar na série – dando errado, e foi engraçado mesmo assim.


Mas enquanto tudo isso acontecia, Jake estava tendo mais uma trama “whatever” sobre sua obsessão pelo trabalho – mesmo entendendo o motivo, e sendo algo que combina com o personagem, não fez realmente nenhum efeito no episódio como um todo – só serviu para abrir um espaço para Boyle ser estranho sem ser estranho e para Terry se apresentar novamente como uma figura “paterna”, com reflexões sobre a natureza do trabalho que eles fazem.


No geral, eu esperava mais, especialmente depois desse hiatus enorme. Mas quem sabe o próximo episódio vá nos compensar. Só esperando e assistindo é que saberemos. Então, vejo vocês no próximo episódio! Au revoir!

Patreon de O Vértice