Crítica | The Last Man On Earth 1x11 – Moved to Tampa

Melhorou, mas tem gente demais para uma quase extinção…


Mais um episódio de The Last Man On Earth chegou, e a série parece decidida a melhorar o suficiente para fazer jus a já confirmada renovação. Entretanto, ao se mover em direção a uma melhora nas tramas e no humor, a série meio que perdeu a sua premissa principal, porque se era para ser uma comédia situada num pós-apocalipse que levou a humanidade a beira da extinção, como é que a cada dois episódios chega mais gente? Daqui até o fim da temporada vão ser quantos? 20?


Mas não me entendam mal! Se encher a casa de gente é o preço a se pagar pelas melhoras, acho que todos ficam contentes em pagar.


Na verdade, “Moved to Tampa” foi um dos melhores episódios da série até aqui. Temos Phill/Tandy – explico já – se dando mal como sempre, Carol resolvendo mostrar sabe como conquistar um homem, Todd se mostrando inseguro e Melissa não sendo insuportável – I know! If someone told me, I would not believe! – tudo isso em um episódio normal. Mas vamos por partes.


Primeiro, estava na cara que Phil/Tandy não ia conseguir se dar bem tanto com Gail quanto com Erica. E também estava claro que seria ele a estragar tudo. Eu até entendo, a festa está começando a ficar muito cheia, mas porque não colocar esse empenho fazer as coisas acontecerem, ao invés de usar a escada errada – a maioria desses outdors já têm escadas – para fazer mais uma coisa egoísta?


Pode parecer cruel, e os fãs do personagem podem não ficar muito satisfeitos, mas eu ADOREI ver Phil/Tandy se dar mal de novo. E terminar colocando uma versão melhorada, um novo Phil Miller foi cruelmente divertido. Adorei o concurso de jenga para decidir qual dos dois iria ser chamado de Phil.


Confesso que gostei muito de Carol no começo do episódio, mas achei muito desnecessário fazer aquela cena do “you're getting my sloppy seconds”. Carol é decididamente a responsável por muitos de nós termos chegado tão longe na série, e bancar a ex ciumenta não faz jus ao trabalho que ela teve em manter a série razoável por tanto tempo. Em compensação, o final, com ela usando seus charmes no novo Phil Miller, foi muito bom.


Antes de terminar, tenho que deixar os meus parabéns a Todd, por ter usado suas inseguranças e a cena do café da manhã para fazer toda uma sequência em que Melissa não é insuportável. Isso sim é um grande feito!


Agora sim dizendo au revoir, ficou claro que a chegada de outro Phil Miller, que decididamente vai arruinar os planos do primeiro Phil Miller foi um tanto cruel, mas decididamente indica que a humanidade não está tão quase extinta quanto a série nos fez acreditar, o que é bem sem graça. Mas isso também quer dizer que teremos bastante confusão até o fim da temporada. Então, fiquem ligados, não percam os últimos dois episódios da temporada e suas respectivas reviews. Au revoir!

Patreon de O Vértice