Crítica | Elementary 3×19 – One Watson, One Holmes


“Training myself to mimic death.”



Bom gente, acho que cansei de reclamar de Elementary. Já vi que vão inserir um plot super louco na season finale para nos deixar com vontade de continuarmos assistindo à trama, e eu vou cair nessa e ver a terceira temporada. Mas, até lá, vamos ter o que a série nos apresentou desde o começo desta temporada (em sua grande maioria). Temos visto um trabalho maior no lado humano e na influência que a Watson tem na vida do Sherlock. Esse episódio veio só para provar isso. Ainda assim, conseguimos ter vestígios do Sherlock que conhecemos na primeira temporada. Quem em sã consciência treina para fingir a morte?



“Did you just roll your eyes?”

Algo que eu sempre quis ver era um plot que envolvesse mais o coletivo de hackers Everyone. As participações deles na série sempre foram muito boas e renderam episódios interessantes. O caso desta semana, apesar de ser somente mais um caso da semana, conseguiu ser interessante e me deixar curioso pela sua solução. A motivação para o caso foi convincente, a execução do assassinato foi bem feita e eles tiveram que trabalhar um pouco para conseguir solucionar o mistério. As coisas não vieram simplesmente caindo nas mãos deles como estava acontecendo. Quando o “cliente” do Sherlock disse que nem eles sabiam a identidade dos outros membros do grupo, imaginei que eles teriam alguma dificuldade para identificar alguns suspeitos.



“I’m not sure how much confronting there’s going to be.”

Esse episódio foi totalmente ligado à internet e suas implicações. Quão profunda realmente é a internet e até onde ela pode chegar? O caso da menina que praticava bullying nela mesma para ganhar atenção dos pais foi bem colocado. Além de aproveitar um assunto que nunca parece acabar, eles conseguiram dessa forma mostrar um crescimento no lado profissional da Watson, algo que eu sentia falta desde que ela voltou a trabalhar com o Sherlock. Ela resolveu o caso completamente sozinha, e isso era algo que eu queria ver há um tempo.



“Well, I-I thought perhaps that, uh, silence was awkward, so I was attempting to fill it.”

Por mais que eu goste do Sherlock estranho e maluco, sem nenhum tato para convenções sociais, devo admitir que fiquei muito feliz de ver um pouco dos papéis invertidos aqui, com ele procurando e se importando com a Watson e ela agindo da forma que Sherlock costuma agir. Não tivemos muitas demonstrações de que o que aconteceu com o Andrew estivesse fazendo a Watson se sentir mal, o que eu achava estranho, já que ela é um ser humano (de verdade, não como o Sherlock) e uma pessoa morreu por causa dela. A reação esperada era de que ela pelo menos ficasse abalada com isso. Aqui, vimos que ela se enterrou em trabalho e tentou não pensar nisso o máximo que conseguisse. Isso ficou claro com as tentativas de ela se manter longe de amigos e de encontros sociais.



“So the question is: How bad does Tessee want that lunch box?”

Acho que escolheram esse episódio para me fazer feliz, porque fizeram a Watson resolver quase tudo. Sentia muito medo de eles deixaram para mostrar esse lado profissional mais desenvolvido dela só na season finale, o que, acredito eu, poderia ficar forçado. Mas eles conseguiram fazer isso neste episódio e de uma forma que pareceu natural. Com o Sherlock afetado com o fato da Watson estar se tornando ele, ela teve espaço para ser realmente ele. Ainda assim, Sherlock teve seu momento para brilhar no confronto com o FBI, algo que eu não esperava que fosse acontecer. Esse episódio conseguiu unir o lado humano e frágil dos dois protagonistas, o lado profissional e desapegado, e conseguiu inserir um caso interessante com algumas reviravoltas inesperadas.



“Our relationship is predicated on one Holmes and one Watson.”

(...)

“I thought it would be good for me to connect with my fellow humans.”

“Well, enjoy yourself, Watson.”

“Ill try. Holmes.”

Não consigo cansar desses dois. Espero que, já que não vão adicionar um plot central e interessante para o restante da temporada, a série pelo menos continue fazendo casos semanais interessantes e nos dando diálogos do nível do que coloquei logo acima, com esse tipo de interação entre eles.


Já sabem, né? Comentem mais abaixo e avaliem o episódio lá em cima ;)

Patreon de O Vértice