Crítica | Young & Hungry 2x01 – Young & Too Late [Season Premiere]

A melhor escolha para as horas vagas...


Sim! Sou eu mais uma vez! (hahahaha). Para quem é novo por aqui, meu nome é Richard, eu escrevo reviews sobre outras séries (Gotham, The Originals, Forever, etc...) e, agora, vou trazer para vocês mais um pouquinho de humor semanalmente.


Young & Hungry é, das comédias que assisto atualmente, a que ainda me faz rir mais. E antes que vocês que são fãs de todos os outros grandes sitcoms resolverem parar de ler ou me atacar, deixem-me explicar a razão. Diferente de como é com The Big Bang Theory, Modern Family, Brooklyn Nine-Nine e outras, eu não tenho um nenhuma amarra a série. Não é aquela coisa de “Ah, acompanhei até aqui, tenho que continuar”. Foram pensamentos assim que me fizeram furioso e decepcionado com o (terrível!) final de How I Met Your Mother.


Young & Hungry chegou com uma proposta simples: o milionário bonitão quer contratar um chef pessoal, e essa chefe acaba sendo uma “pretty blonde girl” (como Elliot a define no piloto) cheia de sonhos que se apaixona pelo chefe, chefe esse que depois acaba se apaixonando por ela. Ou seja, bem padrão (hahahaha). A série chega com um padrão baixo. Não chega prometendo grandes piadas nem abusando unicamente de um estereótipo e o esgotando. A série se vale de leves doses de humor negro, sim, combinado a certos estereótipos e completo com o bom e velho humor situacional. Ou seja: sim, é uma série bobinha, mas que vale a pena assistir. A série te oferece um horizonte de expectativa bem mediano, então não há com o que se desapontar! Mesmo quando a série entrega um episódio mais ou menos, ele já é leve e divertido o suficiente para desestressar qualquer um. E sei que cada seriador lendo isso, cada um que tem suas 50, 70 séries na grade, sabe que tem dias em que, depois das decepções das séries que amamos, nós só queremos algo que seja agradável de ver e ao mesmo tempo engraçado. É exatamente o que Young & Hungry é.


Enfim, apresentações e justificativas feitas, faltou dizer que a primeira temporada da série têm dez episódios e que a segunda temporada têm 12 episódios encomendados. Vale muito a pena conferir!


Agora sim, vamos conversar um pouco sobre “Young & Too Late”.


Na temporada passada, fomos deixados numa cena super triste para uns, super alegre para outros; depende de quem você estava shippando. Para quem torcia para que Josh e Gabi terminassem juntos, fomos surpreendidos pela felicidade da galera que ainda torcia por Cooper voltando para Gabi, que foi exatamente o que aconteceu.


Toda a coisa de Josh ter recriado os detalhes de Pretty Woman e sabe, finalmente aceitando o que ele sente por Gabi foi muito legal. Mas, infelizmente, as coisas não deram tão certo assim.


Achei plausível que Gabi não tenha realmente insistido em saber como Josh se sentia e simplesmente ter partido para a China com Cooper, mas foi muito legal ver Sofia realmente tomando parte na história, não só reinando no episódio – dançando sem sutiã e tudo o mais – mas realmente tomando parte na vida amorosa de Gabi, indo atrás de Josh na boate gay (finalmente um plot situacional bom com Elliot) e fazendo com que ele deixasse a mensagem dizendo como se sente foi muito legal.


No geral, é isso. A série voltou, com direito a uma abertura nova FANTÁSTICA, com novas tramas legais e, é claro, mais diversão para quem assiste. Recomendo a série sim, e nos encontraremos para o próximo texto em breve. Até lá!

Patreon de O Vértice