Crítica | Shameless 5x07 – Tell Me You Fucking Need Me


“When you say you love me, know I love you more; and when you say you need me, know I need you more.”



A série mais sem vergonha voltou!! Uhu!! E com um episódio muito bom, com excelentes plots e algumas questões que são de praxe. Vamos ao que realmente interessa.


Fiona, no episódio anterior, se deparou com seu grande e único algoz: Steve/Jimmy/Jack. Sim, o cara mexe com ela de um jeito que ninguém compreende ou consegue explicar. E ele sabe disso, ela sabe disso, todo mundo sabe disso. Só quem não sabia disso era o maridão, mas ele percebeu, apenas com um abraço malicioso que não era apenas um abraço e sim um convite com direito à trilha sonora “entra na minha casa, entra na minha vida”. Ele percebeu a química que existe entre Fiona e Jimmy (vamos chamá-lo assim, fica melhor) e se tratou de tirar o dele da reta, “vai resolver suas porcarias e depois a gente conversa”. Quase isso, actually.


De qualquer forma, ela fez o que deveria ter feito há muito tempo, logo quando descobriu que ele era problema (I knew you were trouble, bjs, Taylor): pediu a ele uma oportunidade, uma chance de deixá-lo, de seguir em frente, de tentar ser feliz. Não que eu ache que ela será feliz com o Gus, mas é o que ela espera. E eu também acho que tem muita coisa para rolar, ainda mais com aquela mulher dando super em cima da Fi, cujo nome eu, sinceramente, não lembro. Aguardemos, então.


Outro plot bom foi o da Debbie. Gente, sério, preciso desabafar que dei um grito aqui quando o carinha que eu também não lembro o nome deu aquele beijo nela. Eu jurava que ficaríamos até o fim da temporada vendo aquele lenga lenga, chove não molha... essas coisas.


Mas foi bom ver alguém se dando bem nesse episódio, fora o Carl e a Sammi zZZzz.. Por falar nela e no seu plot com o Frank, gente, que desespero foi aquele? Eu achei divertido até a parte que ela deu um show, pegou a arma e disse: “Tell me you fucking need me”. Fofa, não força. Deixa a barra aí.


Outro destaque nesse episódio foi a V e o Kevin. Cara, eles são tão awn <3, que não consigo vê-los separados, mesmo que tenha dado boas risadas. Se eu fosse uma psicóloga e fosse aconselhá-los, iria dizer para conversarem, ele ceder mais um pouco e ela ser mais flexível em relação às crianças, já que esse papel de super proteção, não ter mais tempo para o parceiro é mais papel da mulher do que do homem. E isso foi abordado de uma forma tão diferente pelos roteiristas, que muita gente aí está mais para team Kevin do que team V. A situação deles é complicada, só perde mesmo para o casal Gallavich.


E falando neles... Uma construção fantástica, atuação excepcional e todos os elogios que são merecidos. O Ian finalmente foi se tratar depois do incidente com o bebê e deixou um Mickey solitário, amargurado e precisando de carinho. Quando ele voltou da clínica, procurando pela Stev... (desculpa, gente, não sei escrever o nome da mulher também). Mas continuando... depois que ele voltou de lá, pensei que ele faria uma besteira das grandes, imaginei que ele fosse transar com ela, ou algo do tipo, só para tentar esquecer a dor que foi ver seu amado daquele jeito. Mas ainda bem que ela não estava lá, agradeço por isso. Salvo pelo gongo.


Eu espero que o Ian melhore até a Season Finale, mas que isso seja construído e estabelecido aos poucos. Ao contrário de alguns comentários que li por aí, estou achando ótimo como as coisas estão encaminhando de forma gradual, do jeito que tem que ser, e não mastigado e cuspido. Definitivamente, não. Shameless é mais que isso, muito mais.


P.S.: Debbie cantando Maps <3


P.S.: Quando passou a cena do Lip resolvendo as coisas da faculdade, entendi completamente a sua situação. Sad but true.


P.S.: Carl fazendo o Chuck de slave. HAHAHAHA


P.S.: Carl respondendo a professora. HAHAHAHA


Então é isso, bjos e até a próxima!

Patreon de O Vértice