Crítica | Scandal 4x14 – The Lawn Chair


“He didn’t have a knife.”



No episódio desta semana, tivemos uma redução na correria que a série vinha nos apresentando. O sequestro da Olivia mantinha tudo sempre muito dinâmico, muita coisa acontecendo ao mesmo tempo... Com o fim dele, senti que a decisão correta foi acalmar um pouco o passo da trama, deixar a gente respirar um pouco e ver como as coisas aconteceriam depois disso. O começo do episódio, com a Olivia mentindo para o Jake sobre estar em casa, foi muito a cara dela. Ela me parece ser o tipo de pessoa que, mesmo quando está mal, super abalada, exausta e etc., coloca uma máscara e simplesmente volta para o dia a dia normalmente. Não sei se é pela criação que ela teve ou pelos pais serem quem são, sinto na Olivia uma grande necessidade de demonstrar para todos à sua volta que ela é forte, que ela pode superar tudo. No fundo, talvez ela minta para ela mesma, tentando convencer o resto das pessoas. No começo, pensei que ela realmente estava sendo forte e que iria superar tudo que aconteceu com ela e simplesmente voltar a trabalhar, mas na cena em que o pai do menino morto apontou a arma para ela eu percebi que o sequestro não está tão esquecido assim. A atuação da Kerry naquela cena, mais uma vez, foi fenomenal, e na cena seguinte, com ela tremendo como tremeu logo após o interrogatório, me deu a entender que provavelmente ainda teremos vislumbres de como a Olivia vai reagir perante tudo que aconteceu com ela.


A série nos trouxe um tema que vem a muito tempo sendo negligenciado pela maioria por aí. Mesmo que algumas séries retratem essa situação, da opressão dos negros (principalmente em bairros carentes), não vejo nada sendo realmente feito para mudar isso. Seja em realidades alternativas (como séries, filmes, etc.) ou na nossa realidade, sinto demais que o ser humano gosta de falar que sabe que coisas ruins estão acontecendo, e que elas precisam mudar, mas é muito difícil ver alguém realmente botando o pé no chão e lutando por essas mudanças. Apesar de não gostar do ativista do bairro pela forma com que estava lidando com a situação, ao terminar de ver o episódio senti maior empatia por ele. Não sei se o ideal seria dizer por ELE, mas pelo que ele representou nesse episódio e o que ele acabou causando nas atitudes da Olivia. Acho que foi a primeira vez que ela, além de abandonar um cliente, passou para o outro lado da linha.


E palmas para Fitz nesse episódio. Reclamo muito do personagem e tudo, e pensei que hoje estaria aqui reclamando dele de novo pelo que ele fez com a Mellie, mas devo reconhecer que, neste episódio, ele finalmente fez algumas das coisas que eu venho dizendo que ele deveria fazer desde o começo da série. Fitz sempre foi criança, infantil, e inapto para ser presidente, a meu ver. Mas esta semana ele demonstrou que pode manter sua palavra, e acho que a Mellie pode e vai ser uma presidente muito melhor do que ele. Ele honrar o trato que fez com ela foi algo inesperado e merecedor de reconhecimento da parte dele. Espero que isso faça acender a luz de crescimento para o personagem e que ele se torne digno do cargo que tem na série.


Senti falta da Elizabeth nesse episódio, mas me senti recompensado com as atuações da Bellamy. O plano dela para ser presidente parece estar indo muito bem, mas eu sinto que essa mulher que eles estão escolhendo para ser VP vai acabar crescendo e ser uma concorrente para ela. Espero que os planos deles não saiam pela culatra e acabem ferrando a Mellie, que só vem se ferrando desde o começo da série.


No mais, ótimo episódio, com ótimas atuações (como sempre) e ótimo roteiro, apesar de alguns erros de direção. No próximo episódio, as coisas devem esquentar mais um pouco. Até lá...




“He had a piece of paper.”


Patreon de O Vértice