Crítica | Rizzoli & Isles 5x14 – Foot Loose

Quem é fã de HQs já pode esperar pelo lançamento do ano: Bostonia.


Senti uma vibe bem diferente no início desse episódio. Tinha algo mais sombrio, por assim dizer. O que não deixou de ser verdade, afinal um pé apareceu na costa de Boston esta semana. E se só isso não pareceu o bastante para você, um torso também foi deixado para nossa equipe encontrar. Bem cruel, não é mesmo?


Mais tenso que descobrir que as partes não eram da mesma pessoa foi ver a Maura fazendo a autópsia naquele torso. Fiquei agoniada, juro. E olha que adoro ver a Maura trabalhando. Enquanto fazia a incisão, a médica legista sentiu cheiro de amêndoas e logo diagnosticou envenenamento por cianeto.


O medo de inspirarem o elemento e adoecerem fez com que fosse necessário passar por todo aquele processo de desintoxicação, algo que já vimos em outro episódio. Jane teve que vestir uma das roupas que a fazia parecer da equipe médica e rendeu boas risadas quando ela foi confundida e teve que dar conselhos médicos a quem não a conhecia.


Passado o primeiro susto (sim, tivemos outro!), a equipe voltou a trabalhar na procura por pistas, enquanto tinha que lidar com repórteres enxeridos, o que deixou Jane com a pulga atrás da orelha quanto a um possível vazamento de informações. Até que encontraram o assistente do Dr. Murray, principal suspeito dos assassinatos, sofrendo de um ataque que a detetive reconheceu como envenenamento por cianeto, outra vez.


O que eu esperava era uma possível intoxicação por parte de Jane, que esteve bem próxima ao homem infectado, mas isso não aconteceu. Por um lado, isso me deixou aliviada, mas, por outro, daria um plot interessante entre ela e a Maura (eu e meus dramas românticos).


Enquanto a equipe corria atrás do médico, Angela vivia seu próprio drama. Não ter conseguido o emprego deixou-a cabisbaixa, principalmente quando notara que suas concorrentes eram sempre garotas de pouca idade.


No Dirty Robber, a matriarca Rizzoli acabou fazendo papel de bartender, atendendo um cliente e dando dica de como seria um perfeito pedido de casamento. Embora eu ache que não tem lugar melhor para ela trabalhar do que ali, no bar, com o Korsak, me senti incomodada com a forma petulante dela, de como ela foi metida. Mas é da Angela que estamos falando, então... rs


O assistente do Dr. Murray foi mandado ao hospital, e foi ali que minha suspeita se voltou para ele. Quando começaram a suspeitar, percebi que ele daria um jeito de sair dali sem ser notado. Dito e feito, o cara sai do hospital vestido de policial. Foi revoltante vê-lo passar pelo Frankie sem ser reconhecido.


Mas a fuga não chegou nem à avenida principal. Logo, ele foi visto pela Jane e por Korsak, que o encurralaram de uma maneira linda. Rizzoli entrando no carro sem ser vista e o apreendendo foi maravilhoso.


Com a descoberta da fonte do vazamento, tivemos uma pequena surpresa do que Chip fez após ser demitido: uma HQ! Isso mesmo, a HQ que mostra a detetive Jane Rizzoli como super-heroína da cidade de Boston. Se ele não não guardou rancor e realmente fez a história em quadrinhos porque é uma paixão, tudo bem. Mas ele poderia dar um possível vilão para os próximos episódios.


O que vocês acham? Alguém está tão afim da HQ quanto eu?

Patreon de O Vértice