Crítica | Melissa & Joey 4x09 – Being There

Voltamos a ver um pouco do que a série já foi.


A quarta temporada de Melissa & Joey, como sempre comento nas minhas reviews, vive de altos e baixos – talvez mais baixos do que altos. Mas esse episódio em particular trouxe um pouco daquele clima de família do qual sentíamos muita saudade, apresar de Ryder ainda fazer muita falta, o que é sempre notável.


Um diferencial da série é a forma como retratam tão naturalmente o sexo, mesmo sendo uma série muito familiar. A realidade de que o sexo, palavrões e mentiras existem sempre foi retratado de uma forma leve, e esse talvez tenha sido o maior destaque desse episódio. Mel dando mais atenção para o celular do que para a vida sexual foi divertido de assistir, especialmente com o seu amor direcionado aos vídeos de gatinhos.


Espero que eles continuem a dar o mesmo destaque que deram esta semana a Lennox e a Dani, pois isso funcionou muito bem. Aliás, Lennox finalmente voltou a entrar em um plot com a família, ao invés de estar resolvendo os mesmos problemas com o Zander. Isso remeteu às antigas temporadas, quando era o comum. E outra situação que também me causou o mesmo impacto foi a atenção dada ao espírito de liderança de Joe, que sempre traz como consequência as pequenas discussões com Mel, que são engraçadas e cheias de química.


O pote do palavrão lembra essas clássicas jogadas de séries de comédia... Em um episódio de Friends, falaram rapidamente que no restaurante da Monica havia um pote para se colocar dinheiro toda vez que ela gritasse. Em New Girl, também temos o inesquecível “Douche Jar”. Mas, apesar de clichê, a presença do pote foi uma boa ideia dos roteiristas.


Foi interessante eles relembrarem que ainda existe o Longo Fit, que poderia trazer muitas ideias únicas para serem abordadas na série. Seria bom se esclarecessem melhor a saída de Ryder, o que ele e Lennox sentem em relação aos pais deles na cadeia (apesar de ser uma comédia, os personagens tem sentimentos), o que anda acontecendo com a carreira da Mel e outros pequenos detalhes que nos proporcionaram tantos momentos bons.


Depois de tudo isso, tenho esperança que a série terminará com um bom final, que nos fará sentir bem sobre o destino de cada um dos personagens. Talvez essa história do Joe escrever o livro seja o começo disso, com ele fazendo sucesso e superando tudo o que ele passou de ruim quando perdeu tudo. Se o desfecho tiver uma boa linha de tempo (especialmente para o plot abandonado do bebê), o final pode ser um dos melhores que já vimos.

Patreon de O Vértice