Crítica | The Last Man On Earth 1x05/06 – Dunk the Skunk/Some Friggin’ Fat Guy

Episódio duplo, decepção em dobro.


Outro dia chegou – e chegou em dose dupla! – em Tucson, e mais uma vez vamos parar para conversar um pouco sobre os acontecimentos de The Last Man On Earth. A série nos apresentou um episódio duplo, e portanto, este será um texto duplo. Vou começar com o que vimos na primeira parte, “Dunk The Skunk”, e terminarei com o que vemos “Some Friggin' Fat Guy”, sem contar com algumas considerações pessoais sobre a série. Então, ajeitem-se nas cadeiras, e vamos embarcar nessa viagem juntos.


Da última vez que nos falamos, Phil estava numa situação complicada. Claramente atraído por Melissa e casado com Carol, ele resolve que vai se sair dessa situação com um plano complexo envolvendo uma lógica que, mesmo como cara, eu não consegui entender. Por dois segundos a lógica dele com Carol até pareceu funcionar, mas ele – para variar – ao tentar sair por uma tangente qualquer, acabou se dando muito mal. Mas eu tenho que admitir, ele teve uma das quotes mais espetacularmente bem planejadas até aqui:




“Do you want our babies to have sex with each other?”



Nessa hora ele estava praticamente convincente. Essa parte faz sentido. E se ele tivesse trabalhado esse ângulo primeiro, especialmente considerando que Carol não queria filhos bastardos – duvido muito que ela quisesse netos fruto de incesto – poderia ter sido o plano perfeito...


Mas, daí em diante o episódio realmente declinou. Eu assisti o episódio com uma amiga, e ela me fez prometer que acrescentaria uma observação que ela fez várias vezes. Todas as vezes em que o close do carro acontecia, ela dizia Chris Evans ou Channing Tatum vão descer daquele carro para estragar a diversão de Phil. E quando fomos surpreendidos com um Todd, eu ri tanto que caí do sofá. Não me entendam mal, zero preconceitos da minha parte, mas se Phil tivesse se enrolado menos e feito mais, isso não teria acontecido.


Infelizmente, depois de um cliffhanger tão bom, o episódio seguinte realmente destruiu com a apreciação que eu tinha pela série. Certo que com um título como “Some Friggin' Fat Guy” você não podia esperar um humor muito legal, mas mesmo assim. Certo que Phil é um idiota. Isso fica claro desde o começo. E se a série realmente queria enfatizar isso, poderiam só ter feito uso de cenas realmente legais, como o desabafo de Phil para a porta de Melissa. Mas ao invés disso, metade do episódio é gasto em Phil sendo ridiculamente superficial e grosseiro ao criticar Todd pela forma física dele.


E embora a declaração dele no bar: “You... were the ‘One’ I was waiting for. From the moment I’ve met you took my breath away. I never felt this way for anybody else before. And when I’m around you, I’m a great idiot, I say the dumbest things, ‘cause I can’t think straight. Because, when I look into your eyes, all I can think about is how for every minute of every day I want to be looking onto those eyes. I thing I’m falling in love with you.” tenha sido algo para se orgulhar, além disso e das cenas do encontro entre Melissa e Todd – se você esquecer que Phil estava espionando – o episódio foi tomado pelas referências cruéis de Phil a forma física de Todd, fazendo de Phil o idiota mais idiota que existe. E eu não digo isso com o tom de “idiota” das comédias românticas que levam algumas dezenas aos cinemas e entediam o resto da humanidade. Eu digo “idiota” no tom de “ridículo”, “imbecil”, “superficial” e “desprezível” que a série apresentou. E sinto muito, mas um discurso não retira o fato de que ele simplesmente entrou no hall do detestável com força!


Eu realmente tinha esperanças nessa série. Não é uma proposta tão comum assim, fazer uma comédia pós-apocalíptica, mas é preciso mais do que uma boa premissa para levar uma série. Eu realmente espero mais da FOX e esperava mais de Will Fort também. Resta esperar que a série não passe de “estreia legal” para “perda de tempo” de forma definitiva, porque outro episódio desses vai ser difícil de assistir.

Patreon de O Vértice