Crítica | The Last Man On Earth 1x04 – Sweet Melissa

Mais pessoas estão por vir!


Sim! Mais uma vez chegou a hora de conversarmos um pouco sobre a nossa comédia pós-apocalíptica favorita. É claro que me refiro às traquinagens de Will Fort em The Last Man On Earth. O episódio desta semana, intitulado “Sweet Melissa”, continua de onde paramos no episódio anterior, e ainda traz algumas surpresas agradáveis.


MAS, antes de continuarmos, acho justo que eu explique a minha linha de abertura. Antes de escrever a review, além de ver e até rever (dependendo da série) o episódio, eu também faço uma pesquisa básica, geralmente sobre o que chamou a atenção, tipo a trilha sonora, ou alguma referência em específico que eu possa ter deixado passar. E não é diferente com The Last Man On Earth. E quando January Jones saiu do carro no episódio passado, eu fui ao IMDb para conferir mais detalhes sobre a série. E há mais gente listada para aparecer nos próximos episódios, então podemos esperar que Phil não seja realmente o “último”. Agora, vamos aos detalhes do episódio.


Tinha ficado meio óbvio que Phil não estava satisfeito ao descobrir que ele poderia estar repopulando o planeta com Melissa e não com Carol. E ficar encarando Melissa, ou subindo a partição da limusine (isso sem falar no abraço em grupo) não ajudaram muito a situação dele.


Enquanto isso, não entendi o que conectou Melissa direta e instantaneamente com Carol. Não me entendam mal, ela melhorou muito, mas realmente não é o tipo de pessoa que você pode dizer que dá para se conectar assim, sem mais nem menos.


E outra, eu realmente fiquei com a impressão de que ela estava testando Phil com aquela história de “I’m horny”. Pode até ter sido uma impressão errada da minha parte, mas sei lá, pelo jeito em que o episódio apresentou as sequências, ela conversando com Carol e depois os convidando para passar um tempo na casa dela, e acho que quando Phil decidiu não levar Carol ela pode ter resolvido pregar uma peça nele.


Ah, e ainda não podemos esquecer, Carol e o plot da diarreia foi muito bom. A personagem realmente está sendo trabalhada, construída durante os episódios, o que eu acho muito legal. Até mesmo deu para achar um pouco de fofura no ornamento para a porta que ela fez. Sem contar que, existem conexões que não precisam ser faladas, mas que fazem sentido. Colocar exatamente o oposto na cena sobre a porta entre Carol e Phil funcionou perfeitamente, e contrastou bem com a porta caindo logo em seguida.


Bom, para terminar, não poderia deixar de dizer Phil realmente ficou outra pessoa – não entendam isso como algo negativo – sem a barba. Quero só ver onde vai dar.

Patreon de O Vértice