Crítica | Cougar Town 6x09/10 – Two Men Talking/Yer So Bad

Comportamentos estranhos...


Antes de mais nada, quero novamente pedir desculpas pelo atraso das reviews. Tive uma semana complicada... Mas novamente os astros estavam a meu favor, e tive a sorte de ver dois episódios que se completam de uma forma mágica. Assim, não foi muito difícil escrever essa crítica com uma única linha de raciocínio. Mas comecemos pelo nono episódio da temporada...


Eu já tinha reclamado diversas vezes da falta de continuidade das histórias de Andy e Ellie. Queria ver mais sobre a trama deles desde que os dois decidiram inverter os papéis, com Ellie trabalhando e Andy ficando em casa cuidando do Stan. E, finalmente, essa história teve continuação! Já até vimos Ellie se tornando obsessiva com o trabalho, exatamente da forma como eu imaginava. Enquanto isso, Andy está se sentindo completamente isolado no parquinho... como eu imaginava também; afinal, não é tão comum ver um pai no meio da tarde brincando com o filho no parque. Por causa disso, o episódio acabou tendo alguns dos melhores plots já apresentados nesta temporada.


Vimos Andy fazendo parte do "Mulheres Ricas", ou melhor dizendo, "Mamães Ricas". Eu não consegui parar de rir quando ele apareceu rebolando e andando com coreografia e em câmera lenta. Foi simplesmente a cara da riqueza! Pena que, na verdade, toda a mulherada estava apenas usando-o para pegar água, carregar sacolas, aumentar o ego delas... Basicamente, tudo o que eu passei na escola que acontece nas escolas por causa dos grupos de meninas populares.


E quando eu disse que Laurie hia mudado, eu não estava brincando: a cada episódio que passa, ela prova mais isso! Dessa vez, foi muito legal vê-la ajudando Andy e percebendo o quão especial ele era, e que deveria sair do grupo e seguir "carreira solo".


Agora, o que acabou me deixando com um pouquinho de nojo foi essa "pulada de cerca" de Travis e Ellie. Claro que os dois não fizeram nada, apenas estavam se abrindo (eu estou falando sobre os sentimentos, seus maliciosos), mas toda aquela situação dos dois se encontrando escondidos e achando que tudo aquilo era errado me fez pensar coisas que até hoje estão me assombrando... Espero que nada disso aconteça novamente.


Sobre Jules e seu pai, eu ainda não consegui entender essa obsessão repentina que ela criou para com ele. A mulher nem lembrava que o pai existia (e vamos confessar que a gente também não) e, do nada, obrigou o próprio marido a ser o melhor amigo do pai. Foi um pouco esquisito, mas, no final, acabei gostando do que aconteceu: o coitado do velho tinha arrumado uma namorada e estava escondendo da Jules. A razão disso nós acabamos descobrindo no episódio seguinte.


Parando para pensar, ficou a impressão de que esse episódio foi esquecido, e deveria ter ido ao ar antes, pois ele foi inteiramente dedicado a relembrar plots esquecidos. Mas, felizmente, tudo entrou nos eixos no episódio 9.


ct


Na verdade, tudo entrou muito bem nos eixos. Este foi um dos episódios em que eu mais me emocionei, não apenas pelo relacionamento de Jules com Chick, mas também por Laurie e Travis.


Se no episódio anterior vimos uma Jules louca e obsessiva por seu pai, nesse tivemos uma Jules um pouco compressiva, apesar de ter sido um pouco difícil de aceitar que o seu pai esteja virando o Mc Catra um pegador de senhoras (e, pior, as senhoras sabem que não são exclusivas e aceitam esse relacionamento a três (ou quatro, cinco, ...). Talvez o nome Cougar Town esteja novamente fazendo sentido para a série.


Mas o que eu mais gostei dos dois é que eles foram responsáveis pelas cenas mais emocionantes do episódio. Citando três cenas desse tipo em que eles estavam presentes, posso mencionar o momento em que Chick descobriu que tinha Alzheimer, quando Jules deixou que ele fosse seu treinador para corridas e, até mesmo, aquela lúdica representação da 1ª Guerra (ou era a 2ª? Ou nenhuma das duas?). Os dois simplesmente possuem uma ótima química entre si.


Já Laurie e Travis apareceram como quem não queria nada, com uma história bem boba, mas acabaram me deixando emocionado também. Quem diria que a trama de uma receita de cupcake roubada teria uma resolução completamente inesperada? E lembram que eu disse que o último episódio da série poderia ser com o casamento dos dois? Estou começando a achar que isso realmente irá acontecer. Depois do chilique que Laurie teve por achar que o Travis iria pedi-la em casamento dentro da ambulância dos vinhos, e depois de ela ter contado qual realmente era o seu desejo de um pedido de casamento perfeito (embora o próprio Travis não participasse dele), começo a achar cada vez mais que o rapaz irá realizar o sonho dela.


E se Ellie e Andy tiveram o maior destaque no episódio anterior, nada mais justo do que os dois ficarem um pouco apagados e com uma história mais boba junto com o Tom. Se bem que eu gostei do casal tentando adivinhar qual era a pessoa famosa que era paciente de Tom... Também fico, assim, "um pouquinho" obsessivo quando quero descobrir algo sobre alguém. No final, estava esperando por alguém um pouco mais famoso, até porque eu tive que ler o nome do elenco para descobrir que aquela era a Cindy Crawford. Vamos confessar, ela está bem sumidinha da mídia ultimamente.


É isso... Espero que tenham gostado desta crítica. E o fim da série está chegando... Já compraram suas garrafas de vinho?


P.S.: Prometo para vocês que vou tentar não atrasar as reviews novamente. Semana que vem, estamos de volta.

Patreon de O Vértice