Crítica | Castle 7x17 – Hong Kong Hustle

Ser a melhor não significa ter tudo, e isso ficou muito claro.


Beckett não é capitã da polícia de Nova York, mesmo porque, quando Montgomery morreu, ela não estava pronta para assumir (e não estamos no universo paralelo em que ela é capitã). Ela não é senadora (pelo menos não ainda), como o viajante no tempo disse. Ela não continuou trabalhando no FBI porque aquilo mais estragaria sua carreira do que ajudaria, já que ela não concordava com nada que eles faziam, e foi demitida por isso. Entretanto, ela pegou o assassino da mãe e o serial killer que atazanava sua vida e de Castle, entre tantos outros casos que eles achavam que não teria resolução. Talvez isso não seja como fazer parte de mil e uma organizações como a Zhang, só que, além de ser ótima no que faz, Beckett tem família e amigos e está sempre lá por eles.


Foi basicamente isso que o episódio mostrou quando Kate Beckett, nessa altura da vida, resolveu ser insegura. Mas não foi forçado, não ficou irritante... Na verdade, ficou fofa. Temos uma visão da Kate toda destruidora, que não deixa nada barato e é totalmente segura de si e do que faz. Então, vê-la pensando que encontrou alguém melhor do que ela em tudo é algo interessante.


O que já cansamos de saber é que quem tem tudo normalmente não tem nada. Não existe algo que exemplifique isso melhor do que esse episódio. Existem muitas mulheres bem sucedidas em suas profissões e relacionamentos que conseguem ser mãe, esposa e executar bem a carreira que resolveu seguir. O que Zhang disse é verdade, é preciso ter um equilíbrio. Para alguém que morava em Hong Kong e estava a continentes longe de casa, já era para se saber que esse equilíbrio não existia, e que no final das contas ela só tinha o trabalho. Então, Beckett abriu os olhos...


Kate pode não ter um cargo alto na polícia, pode não saber o que quer de sua vida, mas ela é ótima em seu trabalho de detetive e, diferente do medo que ela tinha, está sendo ótima em seu casamento. Castle já casou três vezes, mas essa terceira vez será para sempre. E não só por causa dele, mas porque o casamento com Beckett é para ser, já que eles começaram sendo maridos de profissão muito antes de serem no relacionamento pessoal.


O caso da semana só apareceu no episódio porque tinha que ter um caso... Mesmo assim, conseguiram fazer com eu não duvidasse da recepcionista (mas não sei se é porque estava com toda a minha atenção voltada para o plot principal).


Nesse meio tempo, enquanto Kate escrevia sua lista, eu fiquei aqui sendo trouxa e criando um universo alternativo na minha cabeça em que a lista foi mostrada no episódio e incluía ser mãe no top 5. Cada um se ilude com o que quer (e não aceito julgamentos)... Mas sei que todo mundo ficou esperando o mesmo.

Patreon de O Vértice