Crítica | Brooklyn Nine-Nine 2x18/19 – Captain Peralta/Sabotage

Jake em dose dupla.


É isso mesmo! Depois de um tempo sem conversar com vocês, estou de volta para discutir os últimos acontecimentos da 99ª!


Dois episódios se passaram desde a última vez que nos encontramos, mas embora seja um texto duplo, acho que não será muito longo. Foram dois episódios muito bons, com muito para destacar... Querem saber? Esqueçam a parte sobre o comprimento do texto, se ajeitem na cadeira e vamos lá!


Primeiro vamos aos detalhes de “Captain Peralta” (exibido no dia 08/03).


Achei muito bom o plot do pai de Jake e a forma como foi desenvolvido, sem contar com o final. Holt, a sua própria maneira, tem servido muito mais como figura paterna para Jake do que Roger.


Já ficou claro várias vezes que o pai de Jake não é lá muito legal, mas foi realmente decepcionante que ele tenha vindo procurar o único filho unicamente para tentar se livrar das acusações.


No entanto, teve uma coisa que me incomodou mais do que isso. Essa carta de Boyle sendo obcecado por Jake já foi usada demais! Não sei vocês, mas eu acredito que mesmo num bromance tem que haver algum limite. Charles vai muito além da conta em qualquer coisa que se trate de Jake (e isso também aconteceu no próximo episódio!) e é sempre a mesma coisa. Já passou de repetitivo e caiu na zona do ruim. Abraço de 10 minutos?! O que, acabaram os criminosos para prender e a louça para lavar?! ¬¬


E enquanto o pai de Jake era um idiota, o que até rendeu algumas cenas boas no plot do Canadá, como não amar Gina implicando com Amy na disputa pelos ingressos para o show de Beyoncé? Terry comendo os ilhéus/donuts e a teoria de ameaçar até falar com a gangorra de Rosa realmente uniram todos eles e contrastou bem com o outro plot. Sem contar que Holt não saber a resposta para qualquer coisa foi tipo: whaaaaaaaat?! E ainda no departamento de alívios cômicos, deixar Scully no Canadá foi ao mesmo tempo cruel e previsível. Não é uma combinação que você vê todos os dias...


Ah, e antes de passar para o próximo episódio, tenho que dizer, “Spirit in the Sky” de Norman Greenbaum pode até não ser bem na temática, mas funcionou muito bem na cena de Jake e Boyle vestidos de pilotos e na cena em que Jake pega o chapéu de capitão.


Agora sim vamos a “Sabotage”, o episódio desta semana.


Eu tenho que começar dizendo que este foi um dos episódios mais engraçados até aqui. Além de ter resgatado e usado de maneira muito melhor Hoystman (que não ficou tão bem na última aparição), o episódio fez diferentes combinações entre os detetives e nos deu uma revelação tão surpreendente que eu assisti umas cinco vezes e ainda não acredito. E embora não tenhamos a menos pista do que vai acontecer na Season Finale, acho que a série pode manter o bom ritmo desse episódio. Mas deixemos de lado os entretantos e partamos para os finalmentes!


Funcionou muito bem conectar a abertura com o resto do episódio. Eu já tinha dito que isso não acontece com frequência, mas tivemos isso nos três últimos episódios e realmente funciona. É algo para os produtores refletirem...


Já pensando no caso central, a situação de Jake, embora eu tenha AMADO ver Rosa e Amy trabalhando juntas (depois de terem competido pelos ingressos em times opostos na semana passada), algo que acho que deveria acontecer mais vezes. E eu até entendo que Jake não é lá a pessoa mais responsável do mundo, mas em várias ocasiões o Esquadrão já deixou claro que quando ele tem um palpite ele geralmente está certo, então acho que, embora seja protocolo e tudo o mais, Amy e Rosa podiam ter confiado um pouco mais em nele durante a investigação. Ah, e o bolso de recibos me lembrou da banheira de cartas da temporada passada.


Antes de falar de Boyle, Hitchcock e Scully, tenho que dizer que Holt admitindo que ficou preocupado com o resultado do exame de Jake foi muito legal, sem contar que aconteceu numa das tramas secundárias mais bem pensadas até aqui. Sempre que Holt e Gina (e até Terry) se encontram numa trama o resultado é sempre muito bom. Quem lembra do vício em Kwazy Cupcakes da temporada passada? (Eu ainda tenho o jogo no meu celular... hahaha).


Mas o que realmente impressionou neste episódio foram Scully e Hitchcock. A não ser quando procurando banheiros secretos, nunca tinha visto esses dois serem bons detetives. Queixos e forninhos caíram depois dessa.


Bom, é isso. Num episódio em que Scully e Hitchcock se mostram excelentes detetives e Rosa dá um soco em Jake realmente não fica muito o que dizer. Temos que esperar pelo próximo episódio para saber se teremos alguma pista sobre a Season Finale, se vai envolver outro personagem saindo por uns tempos, se vai sexo escandaloso, ou se vamos ser completamente surpreendidos. Então, até a próxima!

Patreon de O Vértice