Crítica | Bates Motel 3x02 – The Arcanum Club


“Não sei por mais quanto tempo eu consigo fazer isso, Norman.” – Norma Bates.



Norman e minha relação de amor e ódio por ele... No que diz respeito a amor, shippei o personagem com Emma desde o primeiro episódio em que os dois trocaram olhares. Porém,já no que quis dizer sobre ódio, um belo dia, no início da terceira temporada da série, ele pediu para namorá-la. A princípio, fiquei feliz, lógico! Mas, logo depois, ele resolveu fazer o quê? Esquivar de TODAS as demonstrações de afeto da garota para com ele! Mas acho que isso tem fundamento, e vou explicar mais adiante.


Dylan, ah, Dylan... o acessório de luxo que Bates Motel deixou de precisar no final da primeira temporada. Naquela época, ele tinha seus conflitos com Norma, mas também ajudava nas confusões da matriarca... Hoje em dia, ele fica na sua casa de madeira cuidando de suas plantações de maconha... com seu pai e o ex de Emma, e arrumando confusão com um idiota chamado Chick. Você me fez escrever esse parágrafo inteiro, então, por favor, me surpreenda.


Seguindo as pistas do desaparecimento de Anikka Johnson, a bonitona do quarto 4, fomos levados ao Arcanum, um clube aparentemente de caça, que, contudo, é usado como local para sexo. Bom, isso estava bem explícito, mas eu não entendi direito. Enfim, as pessoas fazem sexo lá enquanto outros olham.


Não sei o porquê de esse clube ter ganhado esse tipo de destaque agora e por qual motivo o Xerife Romero – comentários sobre ele Norma vindo em alguns instantes – estaria lá, mas deve ser mais ou menos a mesma confusão, que deveria ser o nome do meio de Norma, que aconteceu com Nick na segunda temporada: a loura se metendo com homens poderosos e influentes.


Pois bem, Norma também merece seu lugar ao sol no quesito relacionamento, e acho que é para isso que Romero entrou na jogada. E digo mais: acho que o relacionamento deles iria para frente, caso o Xerife tivesse uma paciência infinita e relevasse as excessivas paranoias de Norma Bates. O jeito com que eles se despediram foi tão terno e constrangedor que eu quero de novo.


Voltando ao que disse no primeiro parágrafo, não tenho certeza nenhuma dos sentimentos da alma corrompida de Norman por Emma. A garota não é nenhuma santa... E o que Norman faz com "garotas más"? Ele as mata.


Tudo está bem quando acaba bem, não é? Bom, a garota encontrada morta no lago discorda.

Patreon de O Vértice