Crítica | The 100 2x16 – Blood Must Have Blood, Part 2 [Season Finale]


"If you need forgiveness, I'll give that to you. You're forgiven."



A segunda parte da Season Finale de The 100 já começou nos surpreendendo. Vimos no decorrer dos episódios que o caminho para a Cidade da Luz não estava sendo nada fácil, mas, quando pensávamos que as coisas iriam melhorar para Murphy, Jaha e seus outros companheiros, é aí que nos enganamos.


E a pergunta que não quer calar é: o que diabos era aquela coisa na água? Mas não é só o ataque surpresa que nos surpreendeu. Acredito que a atitude de Jaha de sacrificar um dos seus foi um dos atos mais egoístas que vimos dele na série (até agora). Jaha já não tinha muitos admiradores; e depois dessa, puff...


Mas vamos comentar sobre a melhor parte do episódio: o ataque em Mount Weather. Sim, eu confesso que esperava uma guerra, mas, após a saída do exercito dos Grounders, isso seria meio difícil de acontecer. Admito que em algum ponto esperava que Clarke teria em mente o uso da radiação contra o próprio povo de Mount Weather, mas, em outro momento, acreditei que ela daria uma de “mocinha”e pouparia os inocentes.


E foi aí que os roteiristas nos surpreendem novamente... O simples fato de Clarke ver o seu povo sendo torturado, ver as pessoas que mais importam para ela, como a sua mãe, por exemplo, deve ter elevado a fúria da personagem. E foi nesse episodio que vimos o verdadeiro lado sombrio de Clarke, aquele que é capaz de destruir a sua inocência para salvar os seus amigos. Confesso que jamais esperava ver aquela garota inocente da primeira temporada virar esse tornado na segunda. O crescimento da personagem é bem visível, ainda mais depois de ela ter matado o pai de Cage. Pois é, ninguém esperava por essa. A cena em si foi sensacional, pois eu imaginava que ela estava blefando.


Mas, se pararmos para analisar, vemos que Clarke deve ter compreendido as ações de Lexa. Pois ela fez exatamente a mesma coisa, colocou as necessidades do seu povo em primeiro.


Este episódio foi também a despedida de alguns personagens, como por exemplo, a Maya. Não sei porque, mas eu imaginava que ela morreria mesmo. Fiquei com tanta dó do Jasper... Mas o que mais me doeu foi vê-lo culpando seus amigos. Espero que um dia ele compreenda as ações deles.


E teve outra morte que, por mais que eu quisesse, não senti pena nenhuma. Cage, você foi tarde. Só preciso comentar que o Lincoln sambou nele. Dar a dose de ceifador para ele foi o melhor fim para o personagem. A frase “provando do próprio veneno” nunca fez tanto sentido...


E desculpa, produção, mas eu preciso comentar a cena Bellarke, que foi simplesmente LINDA! O Bellamy oferecendo perdão para a Clarke (algo que ela tinha feito na primeira temporada) foi de se admirar. É aí que percebemos o quanto os personagens evoluíram. Mas, infelizmente, Clarke acabou deixando o seu povo. Existem dúvidas de que Clarke vai ir para Polis junto com a Lexa? Bom, só a terceira temporada pode confirmar isso.


E se tem algo no qual The 100 é mestre é em deixar os finais sem pé nem cabeça. Vimos que Jaha e Murphy se separaram, e isso nos trouxe mil e uma dúvidas, pois o que eles acabaram encontrando é o que irá definir a próxima temporada.


Se vocês analisaram bem, a data do vídeo do homem que se matou era: 5/10/2052. Ou seja, foi quando a Terra foi “devastada”. E os diálogos dele no vídeo são suspeitos. Por exemplo, ele ficou se culpando, falando que tentava CONTÊ-LA, mas perdeu o controle. Ficou dizendo que era culpa DELA... E quem é que o Jaha encontrou no final? Um holograma feminino, que possui inteligência artificial e disse que seu nome é A.L.I.E. (qual o significado dessa sigla?). Bom, mas o que mais deixou explícito que esse holograma pode ter causado a devastação na Terra foi o míssil que ela possui...


Então, gente, o que vocês acharam da temporada e o que esperam para a próxima? Eu estou super ansiosa para o retorno da série. É isso... Nos vemos daqui 7 longos meses.

Patreon de O Vértice