The Americans 3x02 – Baggage

“Esse trabalho...”, Yousaf.


É realmente duro esse trabalho de espionar, porque o espião corre o risco de ser espionado também. Yousaf, então, aceitou a ajuda de Phillip em troca de informações para o russo. Como Phill e Liz não são bestas, trataram logo de conseguir uma prova de que o paquistanês participou do assassinato de Annelise. E que foi muito angustiante a cena em que o casal quebrou os membros da morta para colocá-la numa mala. Sorte deles que naquela época não existiam tantas câmeras de segurança em hotéis.


Além de se livrar do corpo de Annelise (achei engraçado o Phillip dizer que tinha “arquivos para movimentar”), os Jennings também tiveram que lidar com outro desdobramento do episódio anterior: a perda da lista de infiltrados da CIA no Afeganistão. Normalmente cuidadosa, Elizabeth se arriscou demais indo até aquele bar na tentativa de remediar seu fracasso na missão anterior. Ela não parece estar ciente de que o agente que ela atacou pode reconhecê-la e, pior, divulgar seu retrato falado. Em algum momento dessa temporada, esse perigo certamente vai se tornar real e, tenham certeza, será emocionante.


Mas somente o Gaad pode identificá-la, já que Stan jamais associaria sua simpática vizinha à espiã perigosa do retrato falado. Vimos que este tem uma nova atribuição: fazer a segurança de Zinaida, uma desertora russa disposta a revelar informações sobre a participação da URSS na guerra do Afeganistão. Vamos ver até quando ela viverá, já que Oleg está encarregado de vigiar suas atividades e pode planejar algo mais impactante para “fazer propaganda" junto à Rezidentura.


E ele vai precisar mesmo impressionar a chefia, já que está tentando livrar Nina da prisão, até com a ajuda (não tão espontânea, aparentemente) do seu pai, um ministro do governo soviético. Se ela for libertada, vai ser espiã nos EUA?


Essa última questão recai sobre Paige, uma vez que, como Elizabeth disse a Phillip, “essa coisa (pressão da KGB) não vai simplesmente desaparecer”. Para Phillip, é inaceitável fazer a menina passar pelas mesmas situações que eles passam, inclusive arriscando-se a morrer (e ser colocada em uma mala). A posição de Liz é mais incoerente, pois, embora saiba dos riscos da “profissão”, ela vê como patriotismo e amor à causa fazer da filha uma espiã, tal como a mãe da jovem Nadezhda um dia desejou, sem hesitação.


Porém, até o momento, os Jennings não pensaram em algo como abandonar o barco para proteger a filha. Para Liz, seria um ato vergonhoso, imperdoável, como foi a deserção de seu pai. Mas eles terão que tomar uma decisão, já que Paige continua a desconfiar da rotina peculiar dos seus pais e começa a questionar a dedicação que eles dão à família. Ouvir que eles cuidam mais um do outro do que cuidam dos filhos certamente foi incômodo para Elizabeth. Esse trabalho...


Enfim, o que os Jennings deveriam fazer? Deixe um comentário e até a próxima review!

Patreon de O Vértice