Crítica | Shameless 5x06 – Crazy Love


“Partner… Lover… Family.”



E é isso, senhoras e senhores. Shameless nos deixa de coração arriado, caras inchadas e um buraco tão grande que nos faz perder o rumo. Eu não sei vocês, mas agradeço pelo hiatus. Sabe por quê? Porque vou poder me recuperar desse grande e triunfal episódio.


Eu já imaginava que teríamos um excelente episódio, ainda mais depois do Ian roubando o bebê russo, mas eu não pensava que seria tão dramático e tão bom quanto foi!!! Gente, sério, a cena dele conversando com a criança e indo em direção a nowhere foi tipo: eu levantando e batendo palmas pra meus pais por me proporcionarem a vida para que eu chegasse agora e pudesse assistir essa belíssima cena. Eu ri com ele fazendo o menino rir, eu me emocionei com o Mickey ligando e ele rejeitando. Com isso tudo, cheguei à conclusão de que essa temporada é do Ian, assim como a anterior foi da Fiona.


O lance mesmo é focar na doença, entender como o mundo de um bipolar funciona, um bipolar de verdade e não aquelas viadagens que a gente “tolera” por aí. Eu senti um pouquinho quando foi com a Mônica, mas como não gosto dela e não dou a mínima, não pude me atentar em detalhes que com o Ian puderam ser bem explorados. Ele chegou a um nível bem pesado da sua doença nesse episódio, mas temo que isso não seja nem o começo ainda. O momento em que ele abaixou a cabeça e pediu desculpas para o Mickey foi de cortar o coração. Deu vontade de abraçar a TV e nunca mais soltar. E para piorar, quando o Mickey perguntou se podia entrar com ele e a mulher disse que não, meu mundo caiu, tipo o da Maysa.


Outro destaque do episódio foi a volta do Steve/Jimmy/Jack. O cara consegue mexer com a Fiona de um jeito que só Jesus para contar. “Seus efeitos ainda dominam em mim”, é nessa pegada aí o lance dos dois. Ele é tipo chiclete que gruda no sapato, sabe?! Quanto mais você tira, mais preso fica. Acredito que é exatamente assim que a Fi se sente. Bom, que ele vai ser um problema, isso todo mundo já sabe; que ele vai atrapalhar a lua de mel do casal cantoria, todo mundo já sabe também. Então, não tem muito que esperar dos dois. A surpresa mesmo fica para o desenrolar da história nos próximos episódios.


Emmy Rossum que me perdoe, mas meus olhos estavam voltados para Cameron Monaghan e Noel Fisher. E não é à toa que não vimos uma correria na relação entre o Mickey e o Ian. Os roteiristas acertaram muito ao estabelecer isso de forma gradual, tem sido ótimo para a série em si. Cada cena, cada detalhe foi esquematicamente calculado para que não houvesse furos, não houvesse falhas. E eu lhes garanto, sem tirar nem pôr, que “Crazy Love” pode ser considerado como um dos três melhores episódios da série. E se não for pedir muito, chama um Emmy aí.


P.S.: Fiona espancando o Jimmy. Gente, que isso?!


P.S.: Sammi conspirando Fiona pegar os boys. HAHAHAHAHAHAHA


P.S.: Eu torci muito para a Fiona beijar o Jimmy. Foi mal, Gallaghers.


P.S. Lacrador.: “I’m worried about you, I love you.”


Shameless retorna dia 01/03. Grande beijo e até lá =)

Patreon de O Vértice