Crítica | MasterChef Junior 3x08 – The Finale [Season Finale]

E o ganhador do trofeuzão brilhante + 100 mil obamas é...


A terceira temporada do reality show de pequenos cozinheiros teve seu fim nessa terça-feira. Senti essa edição passar muito mais rápido que as anteriores, e não me apeguei tanto aos participantes como na primeira e na segunda temporada, mas ela foi muito satisfatória mesmo assim. Acredito que a pausa entre as temporadas poderia ser um pouco maior também, bem como o número de episódios, que poderiam variar de 10 a 12. No todo, acho MasterChef Junior um dos realities shows de maior qualidade em seu entretenimento; os desafios são bem variados, e exigem um nível de habilidade que adicionam o nível certo de emoção para o programa sem ficar muito forçado. Para mim, a pior característica na maioria dos reality shows é o excesso de drama em busca da audiência, e isso MasterChef Junior não precisa. O programa tem qualidade, conta com crianças educadas e profissionais, e é perfeito para toda família torcer e assistir.


Antes de ganhar o troféu e 100 mil dólares, os competidores da noite tiveram que cozinhar, em 90 minutos, uma entrada, um prato principal e uma sobremesa. De um lado, tivemos Nathan, de 12 anos, com o talento e compostura de um chefe adulto. O menino optou pela cozinha francesa nessa noite, pois, mesmo sendo mais técnica e difícil de ser bem executada, era um bom risco, segundo ele. Acredito que os pratos de Nathan trouxeram a sofisticação e a ousadia necessárias numa final. Do outro lado, Andrew, com 11 anos e uma determinação incrível e indispensável para ser um bom cozinheiro. Andrew optou pela cozinha italiana essa noite, o que me fez pensar que deixaria meu coração dividido entre os dois competidores, já que adoro uma boa massa, mas ele não atingiu minhas expectativas.



Pratos de Nathan:



  • Entrada: erva-doce gratinada com presunto francês e salada de raspas de erva-doce. Dos três pratos dele, esse foi o que menos me chamou a atenção, mas achei apetitoso também. Os jurados acharam que precisava ter cozinhado um pouco mais.

  • Prato principal: costeleta de cordeiro com crosta de ervas, feijão-fava e purê de aspargos brancos. Pareceu muito gostoso e sofisticado. Os jurados elogiaram muito e acharam o melhor prato principal da noite.

  • Sobremesa: tarte de chá earl grey com limão meyer e coulis de laranja-de-sangue (espécie de molho francês). Apesar de não ter ideia de como são esses sabores – o que dificulta avaliar muitos pratos não só nesse episódio, mas em todo programa –, sei como é difícil ver uma tarte tão bem feita, principalmente uma crosta como essa que Nathan fez.


Pratos de Andrew:



  • Entrada: quinoa com queijo ricotta, beterrabas assadas e pão pumpernickel (pão integral de origem alemã). Uau! Achei incrível a entrada do Andrew, o melhor prato dele. Quando vi sua entrada sofisticada, comecei a ficar com medo do meu preferido perder para ele. Só não achei que formou um bom conjunto com os outros pratos.

  • Prato principal: Ravioli de bochecha de boi com molho e parmesão ralado. Eu esperava mais de Andrew. O ravióli parece extremamente trabalhoso de preparar, mas não me chamou muita atenção. Os chefes preferiram o prato principal de Nathan, e acharam que a carne do ravióli estava crua.

  • Sobremesa: risoto de figo e verjus (segundo o nosso amigo Google é um ácido extraído do suco de uvas brancas não amadurecidas). Opinião: os três chefes adoraram, mas não achei um prato tão bonito.


Depois daquele suspense básico de final de temporada e fazerem os telespectadores roerem todas as unhas, o vencedor foi anunciado: Nathan foi o ganhador do troféu e dos 100 mil dólares. A cara de surpresa dele foi emocionante de ver, e a reação do Andrew foi admirável. Achei que o menino estava muito confiante e ficaria mais chateado, mas ele entendeu a vitória do amigo e ficou orgulhoso de ter chego até a final do programa. Nathan, com certeza, mereceu esse prêmio! Além de ótimo cozinheiro, ele é ótimo CHEFE. Não fica nervoso na cozinha, trabalha bem em equipe e executa tudo com excelência. Os pratos dele foram muito sofisticados e técnicos e refletem bem como ele é como chefe, ao contrário dos pratos do Andrew, que não formaram um bom conjunto e não tiveram sua personalidade (que não achei bem definida na cozinha).


Apesar de ter meu favorito desde a metade do programa, acredito que os dois terão um futuro brilhante na cozinha. Espero ver algum dia não só eles, como todos os que se destacaram nessa temporada. Nos despedimos de mais uma temporada com a tristeza de não ter um episódio novo nas próximas terças, mas com esperança de ter uma temporada ainda melhor em breve!


P.S. 1: Senti falta das torcidas loucas das temporadas passadas nessa noite :(


P.S. 2: Adoro como Nathan consegue cortar o Andrew com tanta sutileza e educação, haha.

Patreon de O Vértice