Crítica | The Americans 3x05 – Salang Pass


“Mas (ter) consciência pode ser perigoso.” – Gabriel.



Começo a review dessa semana com mais uma frase do Gabriel dirigida a Phillip. O velho agente, pelo menos até aqui, está agindo como uma espécie de coach do casal Jennings, mais até do que um chefe, como era a Cláudia.


Nas palavras de Gabriel, Phill é o melhor agente de campo, treinado para lidar com diferentes disfarces e mentir (inclusive no sexo). Entretanto, seu treinamento não removeu sua consciência, esse sentimento que pode ser um empecilho no sucesso de uma missão. Gabriel faz questão de afirmar que “é a operação que é crucial” e qualquer sentimento em relação às pessoas usadas deve ser reprimido. Pobre Phillip.


Phill sabe disso, então precisa resistir ao desejo legítimo de Martha em querer ser mãe e aos hormônios efervescentes da jovem Kimberly. Sobre essa última, é obvio que Phill a vê como uma garota que poderia ser sua filha (achei tão meigo ele carregando-a para a cama), mas, ainda assim, ofereceu maconha para drogá-la e poder espionar a casa do pai dela, o agente Breeland. Não bastasse a pouca idade da Kim, Phill ainda teve de ouvir a garota desabafando por se sentir ignorada pelos pais, que estão sempre fora e não ligam pra ela. Poderia ser a Paige falando a mesma coisa ali.


Elizabeth, por outro lado, está lidando melhor com sua consciência. Em sua missão de espionar a Northop, fábrica de artefatos bélicos para o exército americano, vale fingir que é a melhor amiga e confidente da Lisa quando essa enfrenta um momento difícil no seu casamento. Lisa é funcionária da Northop e Liz está preparando terreno para convencê-la a compartilhar informações preciosas sobre a empresa, mas a nova amiga de Liz não parece ser ingênua. Elizabeth vai ter um trabalho difícil, muito mais do que matar um funcionário da Northop só para Lisa ocupar a vaga de trabalho deixada por ele. Aliás, a russa não demonstrou nenhum sentimento quando deixou que o homem fosse esmagado pelo carro que consertava.


Sentimento parece ser a única coisa que une Stan e Oleg: ambos amam Nina e querem salvá-la da prisão. O americano continua convicto que Zinaida não é apenas uma desertora e não vai desistir de comprovar isso. Mas também é possível que ele deixe de lado sua consciência e incrimine Zinaida de alguma forma, mesmo sem provas, para conseguir usá-la e trazer Nina de volta.


Deixe suas impressões sobre esse episódio e até a próxima semana!

Patreon de O Vértice