Parks and Recreation 7x05 – Gryzzlbox

Ron Swanson, o John Connor de Pawnee.


Ao instalarem uma empresa de tecnologia em Pawnee, não imaginei que Parks poderia ter um episódio que levantasse a discussão sobre o uso de informações dos usuários de produtos da Gryzzl. A discussão sobre a coleta e uso de informações na internet é algo atual, e é curioso imaginar como estará esse cenário em 2017. Na minha fértil imaginação, o cenário se chama Goobookazon (Google + Facebook + Amazon). Um império de informações no qual, se você não está na rede, você não existe. Ok, muito dramático para daqui dois anos, rs.


Como Leslie iria derrubar o obstáculo representado pela Gryzzl, uma vez que a empresa sabe de tudo que ela faz? Os contratos de termos de uso (que ninguém lê) podem conter detalhes que permita a invasão de sua privacidade ou o uso de suas informações sem que você saiba, ou os dois e mais! Penso duas vezes antes de jogar algo na internet. Ainda, após um tempo, ao olhar as coisas que já joguei, pode bater um arrependimento. Por isso, é preciso existir uma forma de tirar aquilo da vista, pois na internet poucas coisas se perdem ou realmente são excluídas.


O sentimento de invasão é compartilhado por todos aqueles que têm seus guilt pleasures revelados. Por mais que a Gryzzl tenha tentado agradar, sabemos como os habitantes de Pawnee reagem a boas propostas, como as de Leslie no departamento de Parques. Eles repudiam, em nome da comédia do absurdo. Mas, dessa vez, os habitantes comuns de Pawnee reclamaram pela coisa certa, e essa reclamação revelou a Gryzzl como um Big Bro’, uma versão “chill” do Big Brother.


Por mais que eu tenha amado esse plot sci-fi, também me diverti muito com as aventuras de Johnny Karate e seu agente Tom. Gargalhei alto com o chororô de Tom no escritório e assistiria aos inúmeros programas que Andy poderia oferecer. Chris Pratt sabe interpretar personagens divertidos, e mal posso esperar para saber como será seu personagem em Jurassic Park. O plot infeliz de April continuou com o passado batendo na porta. Ver April reconhecendo sua ingratidão por seus anos de atividades no departamento de Parques fez com que ela amadurecesse sem perder seu jeitinho melancólico, gótico e depressivo que tanto achamos charmoso. Acho que ela vai ter um cargo bem surreal onde possa tomar decisões pela vida de outra pessoa, tipo uma marionetista.


O resultado do episódio anterior não fez com que Ron abandonasse o projeto da Gryzzl, o que pode ser coerente com sua paixão por construções, e por ser sua fonte de renda, mas achei uma falta de suporte para Leslie. Fiquei muito contente e empolgado com o final deste episódio vendo Ron no maior estilo de juízo final para as máquinas, em baixo da chuva, ao som de trovoadas, com os olhos cerrados, empunhando a espingarda numa mão e na outra... O maquinário a ser derrotado. *-*


P.S.: Ao mesmo tempo que Perd sempre me irritou por sua forma artificial de falar, ele me fez dar risada por sua falta de noção. Nessa última temporada, Parks está lembrando de seus habitantes peculiares e trazendo-os em boa forma.

Patreon de O Vértice