Gotham 1x11 – Rogues’ Gallery

Não importa que a série vá mal, finalmente temos Arkham e Morena Baccarin!


Sim, senhoras e senhores, Gotham está de volta, o que significa que voltaremos a passar este tempo agradável discutindo essa Origin Story que tinha tudo para dar certo... bom, ainda tem... vai saber...


Dando sequência – não de caráter imediato, mas satisfatório o suficiente – aos eventos apresentados na Mid-Season Finale e marcando o tempo muito bem, a série continua tentando manter os padrões de qualidade, mas alguns dos erros mais gritantes não podem mais ser relevados. E, infelizmente, para mim, terei que começar por eles.


Bárbara e Montoya já esgotaram, não só a minha paciência, mas todo a suspensão de descrença existente entre os fãs do Cavaleiro das Trevas. Mas, como li, pra quê gastar tempo e texto com essas duas? Vamos a plots mais bem elaborados.


Cat ajudando a menina Ivy foi intrigante. A garota Ivy realmente é má. Claro que algumas ervas venenosas levam algum tempo para se desenvolver, mas essa realmente já mostra seu efeito...


E é claro, eu não poderia deixar de mencionar os plots das famílias. Primeiro, achei que Maroni “ensinar uma lição” ao Pinguim foi muito válido. Quanto mais humilhado esse psicopata for, mais insano ele ficará.


Senti falta de Falcone, mas é óbvio que isso é só mais um indicativo da queda dele. E falando nisso, Fish agora conspira abertamente sobre quem assumiria o comando em caso de uma “eventualidade”. Mas, claro, com alguém tão fiel quanto Butch, disposto a matar um amigo de infância para garantir que sua chefe vá ficar com o controle da “família”. Isso foi algo realmente espetacular.


Mas, depois de tantos outros plots, vamos analisar o que aconteceu com o nosso bom Gordon. Mandado para ser carcereiro do Arkham Asylum por causa de suas declarações com relação ao prefeito, ele se vê em um ambiente deplorável – embora tenha sido uma surpresa agradável saber que nos sanatórios você ainda tem a chance de encenar Shakespeare... – e sendo responsabilizado por problemas que transcendem suas responsabilidades. Ah, e é claro, vendo o surgimento de ninguém menos que – claro, uma versão – do Electrocutioner. Claro que o plot será resolvido no dia 19/01, quando Gotham realmente retorna do hiatus, mas é bom saber que, mesmo que seja uma versão, a alcunha de um dos oito vilões que o Coringa contrata para assassinar o Batman na noite de Natal teve sua chance de aparecer.


Claro que, a esta altura, tão perto do final, vocês já devem ter se perguntado se, depois de afirmar tanto minha admiração pela fantástica atriz que ela é, eu me esqueci de falar sobre o personagem que a nossa brasileiríssima Morena Baccarin trouxe à vida: a Dra. Leslie Thompkins. Quem lembra da personagem dos quadrinhos, sabe que ela é amiga dos Wayne, e que fortemente desaprova as “atividades noturnas” de Bruce.


Eu poderia escrever um texto inteiro sobre a carreira e sobre as várias razões pelas quais eu estou mais do que feliz em ver Morena Baccarin mais uma vez e – finalmente! – atuando em uma série que, mesmo remotamente, nos coloca na Bat-mitologia, mas vou encerrar por aqui, porque quero esperar para saber se a série fará boas escolhas para o futuro, ou se realmente está tudo perdido, pois Rogues’ Gallery pode não ter sido tudo o que esperávamos, mas trouxe algumas boas possibilidades. Agora, é esperar para ver. Então, até a próxima.

Patreon de O Vértice