Androides sonham com ovelhas elétricas? - Philip K. Dick | Crítica

Não é de agora que excelentes livros se tornam adaptações cinematográficas (nem sempre com qualidade) que arrebatam plateias e milhões de dólares. Mas quando um gênio da literatura se une a um ícone do cinema, podemos sempre esperar resultados ímpares.

E é assim que o filme Blade Runner, clássico dos anos 80 que ajudou a imortalizar o ator Harrison Ford (que na mesma época era Han Solo em Star Wars e Indiana Jones na saga homônima) e que foi dirigido por Ridley Scott (diretor de Alien e Gladiador, entre outros) conseguiu ainda popularizar o fenomenal livro Androides sonham com ovelhas elétricas?, de Philip K. Dick (também autor de livros e contos que se foram adaptados em filmes como O Vingador do Futuro e Minority Report).

O livro, recém-lançado pela editora Aleph em uma edição pra lá de especial, conta uma história futurista em que androides com semelhança quase perfeita a humanos existem, embora sua convivência no planeta Terra seja proibida e eles realizam trabalhos em outros planetas. Sem se aprofundar exageradamente em todo o contexto da trama, o autor nos apresenta os problemas que esta nova forma de viver traz, como problemas de invasão de androides no planeta Terra e a extinção completa de várias espécies de animais após uma grande guerra nuclear. Isso torna o fato de possuir um animal legítimo (já que existem também animais robóticos) um símbolo de status e riqueza (mais atual, impossível).

PKD

Em meio a toda essa sociedade controversa, acompanhamos paralelamente a história de Richard Deckard, caçador de androides do departamento de polícia de San Francisco, e a vida de J.R. Isidore, habitante de uma zona abandonada da cidade e que acaba conhecendo um grupo de androides que conseguiu fugir e chegar ao planeta Terra.

A trama consegue ser, ao mesmo tempo, profundamente filosófica mas bem pragmática, com os pés no chão e cenas de ação. Vale ressaltar que a adaptação do livro para o cinema é muito diferente do livro (no filme, nem sequer é citada a extinção e a posse de animais como status). Por quase 300 páginas, acompanhamos as aventuras de Deckard para encontrar os androides Nexus-6, réplicas quase perfeitas de humanos e que só são detectados a partir de testes de empatia, enquanto vemos o outro lado da história através dos olhos de J.R. Isidore.

O capricho da edição lançada é que, além da obra completa (que pela primeira vez está com seu título original traduzido do inglês – Do Androids Dream of Electric Sheep?), temos ao final uma entrevista traduzida de Philip K. Dick (que veio a falecer precocemente alguns meses antes do lançamento do filme Blade Runner, em 1982), abordando vários aspectos de suas obras e de sua vida, além de uma análise bastante aprofundada de Ronaldo Bressane, responsável pela tradução desta edição do livro, abordando vários aspectos do livro que nem sempre possuem um entendimento simples. Só essa análise, pela qualidade do conteúdo e por funcionar como uma discussão com um leitor provavelmente catatônico ao final do livro, já vale a leitura de todo o livro. Leitura obrigatória para qualquer fã de ficção científica e de uma história que nos faz refletir sobre muitos aspectos da sociedade atual, sem se tornar maçante ou complexa demais.

Confira a sinopse oficial do livro Androides sonham com ovelhas elétricas?, da editora Aleph:
Rick Deckard é um caçador de recompensas. Ao contrário da maioria da população que sobreviveu à guerra atômica, não emigrou para as colônias interplanetárias após a devastação da Terra, permanecendo numa San Francisco decadente, coberta pela poeira radioativa que dizimou inúmeras espécies de animais e plantas.Na tentativa de trazer algum alento e sentido à sua existência, Deckard busca melhorar seu padrão de vida até que finalmente consiga substituir sua ovelha de estimação elétrica por um animal verdadeiro; um sonho de consumo que vai além de sua condição financeira. Um novo trabalho parece ser o ponto de virada para Rick: perseguir seis androides fugitivos e aposentá-los. Mas suas convicções podem mudar quando percebe que a linha que separa o real do fabricado não é mais tão nítida como ele acreditava.Em Androides Sonham com Ovelhas Elétricas?, Philip K. Dick cria uma atmosfera sombria e perturbadora para contar uma história impressionante, e, claro, abordar questões filosóficas profundas sobre a natureza da vida, da religião, da tecnologia e da própria condição humana.
Patreon de O Vértice