Law & Order: SVU 15x20-23


"I'm back!"

Primeiro, já vou começar pedindo desculpas pela imensa demora em escrever as reviews. Entre o final de período maluco na faculdade e a morte repentina da minha prima/irmã, as coisas ficaram terrivelmente confusas e o meu tempo absurdamente reduzido. Porém, fiz de tudo para me atualizar com os episódios e trazer a review pra vocês antes da season finale (que acontece amanhã, dia 21).

Comecemos do início. Eu estava esperando ansiosamente o retorno de Lewis e o que ele causaria dessa vez a vida de Benson. Então Beast's Obesession logo se tornou o episódio mais esperado da temporada pra mim. E, quando ele chegou, não me decepcionou. O roteiro foi bem amarrado, excelente e permitiu que as interpretações fossem precisas e consistentes. Até o momento da declaração da Liv meu ódio por Lewis se triplicava drasticamente. Ele não tem escrúpulos e isso ficava claro com suas ações totalmente impulsivas de sair matando todo mundo pra conseguir chegar na Sargento, que no momento, foi destituída do cargo pelo seu desenvolvimento emocional. Gostei deles terem usado o Murphy como nova cara do esquadrão, acho que ele tem muito o que acrescentar pra história e pode ser usado regularmente agora. Quando vi que Liv ia atrás de Lewis já previ merda se aproximando. Cara, fiquei com o coração na mão por ela, e claro que conhecendo bem a nossa detetive há tantos anos, ela nunca permitiria que nada de mal acontecesse com aquela garotinha. O momento mais agoniante e foda do episódio foi quando Lewis ia estuprar Olivia. Fique gritando com o computador que nem uma louca, não acreditando que depois de tudo que ela passou, ele ainda conseguiria destruí ainda mais a vida dela. Quando ele desistiu respirei aliviada, mas já logo fui introduzida ao ápice de toda a coisa: a roleta russa. Sério, que momento foda. Toda a sequencia da cena foi muito bem trabalhada e todos os envolvidos estavam impecáveis. Já posso tirar o chapéu pro trabalho excepcional que a Mariska vem desenvolvendo nessa temporada? Meu Deus, essa mulher só melhora. A cena final, do tiro, as expressões de dor e alívio no rosto dela foram perfeitas.
Mas claro que o espírito do Lewis não iria deixar Liv esquecer esse último ato tão facilmente.


 
Quando ele diz que ela se lembraria desse momento pra sempre ele não estava blefando. De todas as coisas péssimas que ele poderá ter feito com, inclusive tê-la matado, ele preferiu atormentar a vida dela de outras formas, quase destruindo sua carreira e tudo que ela conquistou. Não sei como, mais ainda fiquei impressionada com tudo que ele armou para Olivia, para que ela pudesse ser responsabilizada pela sua morte. Já tornei oficial várias vezes mas preciso repetir sempre que ele aparece: como odeio o Tucker! Ele sempre, desde a época do Elliot, implicava com o esquadrão e sempre que tinha a chance tentava incriminar nossos detetives de alguma forma. Ainda nessa temporada ele já tinha partido pra cima do Nick e agora da Liv. Por falar em Nick adorei a forma como ele ficou do lado da Liv, apoiando-a e disposto a ajuda-la acima de tudo. Essa lealdade que quero ver entre os parceiros. Esse tipo de coisa que sinto mais falta da relação dela com o Elliot. Outra grata surpresa em Post-Mortem Blues foi o Tenente Murphy. Ele correu atrás do prejuízo, deu a cara a tapa e salvou o emprego de Olivia. O cara acabou de chegar no esquadrão e fez mais por ela do que a Amanda ou o Fin, e só isso que me incomodou um pouco. Esperava mais deles como grupo. Porém, a dedicação de Murphy já me fez ter um novo shipp para Olivia. Não deixando Barba de lado, é claro, mas agora ela tem duas sugestões, e por todos os deuses, que ela tenha a chance de experimentar pelo menos uma. (Ainda consigo imaginá-la com seu terapeuta, porém uma relação complicada como essa não é mesmo o que Olivia precisa agora).

E com o fantasma de Lewis pra trás, as coisas poderiam enfim se encaixar de novo no esquadrão e a polêmica que tanto foi pano de fundo para vários episódios no começo da temporada voltou. Primeiro tenho que confessar que adoro esses episódios onde não existem mocinhos e vilões, culpados e não culpados. Onde nosso senso de justiça é confundido e não sabemos em quem acreditar. Adoro isso porque beira muito a nossa realidade e essas referências a atualidade aproximam muito espectador e história. E em Reasonable Doubt não foi diferente. Juro que ao final do episódio minha certeza de quem estava falando a verdade não estava nada definida e assim como Olivia, o pensamento que fica é que com toda a certeza, a mais prejudicada da história seria a menina com esses pais loucos. Acredito que o produtor de tv (esqueci o nome dele agora) tenha sim abusado da cunhada e acho que ele pode até ter tido um comportamento impróprio com a filha, mas a ex mulher dele não fica pra trás em níveis de ações estranhas. Ela nitidamente estava obcecada em prejudicar o ex pelo caso que ele teve com sua irmã mais nova, e não duvido nada que ela atravessaria os limites do certo para fazer isso acontecer. Foi um bom episódio, polêmico, que abordou várias coisas interessantes, inclusive que o mundo não é todo preto no branco, e que mesmo a justiça pode ser confusa e incerta. Ah, só pra constar, o que foi Amaro saindo só de toalha do banho na casa de Amanda? Referência para um flerte futuro?

Por fim tivemos Thought Criminal. SVU mais uma vez mostrando que a verdade, como a história,
tem várias faces e pode ser, continuamente, alterada. Confesso que ao final desse episódio só consegui pensar na frase que a advogada de defesa disse pro Barba lá no finalzinho dentro do elevador: "Você quer mesmo viver em um mundo onde pode ser preso pelo que tem na sua mente?". Essa frase ficou martelando e martelando na minha mente fazendo com que minha opinião sobre todo o caso fosse questionada e, sinceramente, ainda não cheguei em um resultado. Acredito que o fotógrafo não deveria ser preso, afinal, não havia nada que provasse que ele já tinha executado as ideias pervertidas que habitavam sua mente, mas com certeza queria ver ele fazendo um tratamento, um acompanhamento e, no mínimo, uma ordem pra ele não morar perto de escolas infantis. Sabe o velho ditado, é melhor prevenir do que remediar? Ele se aplica perfeitamente nesse caso. O episódio também trouxe a vida conturbada de Nick de volta as telinhas e mesmo achando impulsivo a Maria ter ido embora, acho bom esse plot ter sido fechado. De todos do esquadrão, as histórias do Nick são as mais tediosas pra mim. Porém, o jeito agressivo dele (que pra constar me lembra muito o Elliot) acabou o prejudicando. Num momento de raiva ele acabou agredindo o acusado e sendo preso. E olha, isso ainda vai render e muito na season finale.

Então é isso, amigos. Amanhã teremos o último episódio dessa temporada e ele promete grandes surpresas, como a volta (temporária) de Munch e a Olivia talvez realizando seu sonho de ser mãe?

Promo Spring Awakening

E para a alegria geral da nação, nossa série foi renovada para mais uma temporada! o

Patreon de O Vértice