House of Cards 2x11 – Chapter 24

House of Cards 2x11 – Chapter 24

Clima de tensão após denúncias de corrupção...

Logo no início deste episódio, acompanhamos o depoimento de Underwood no Ministério da Justiça sobre as acusações de lavagem de dinheiro com fins políticos. É claro que o vice-presidente sabe se esquivar como poucos de perguntas complicadas, e é claro que ele já estava preparado para tudo isso. Mas o que ele não esperava era que fotos de Doug no cassino de Lanagin poderiam comprometer todo seu plano, e Heather Dunbar, responsável por conduzir os depoimentos, está fazendo jogo duro para cima de todos os envolvidos.

“Da toca dos leões para a alcateia dos lobos. Quando você é carne fresca, mate e atire-lhes algo ainda mais fresco.”. Com essas palavras Frank deixa o Ministério e enfrenta uma multidão de jornalistas sedentos por alguma informação nova. Alguém com certeza irá cair, mas ainda está difícil prever. E não acho que seja Underwood.

Remy Danton encontrou-se com Lanagin para discutir sobre o rumo dos fatos após as acusações, já que Tusk está na corda bamba. O que mais importa para Tusk neste momento é comprar o máximo de proteção possível, e Lanagin, apesar de possuir muito dinheiro, é uma das pessoas que precisará de ajuda e que poderá ajudá-lo. Do outro lado da história, Garrett percebeu que Frank não está nenhum pouco a vontade com o processo, e que nada parece tão fácil quanto ele diz.

Outra missão de Danton será derrubar as pessoas que trabalham com Frank, sendo que a primeira é Jackie Sharp. Com uma carta na manga, ele até que tentou convencê-la a depor contra Frank, mas a congressista é dura na queda. Mesmo ameaçando-a com uma denúncia que poderá acabar com suas as chances na eleição, Remy nada conseguiu. Aliás, conseguiu perder sua amizade colorida.

Claire perdeu definitivamente o apoio da amiga Patricia Walker no projeto contra os abusos militares. A primeira dama justificou o afastamento confessando que o problema entre a ela e Galloway poderia comprometer ainda mais a imagem do presidente, manchada com as denúncias de corrupção em seu governo. Num ato que só pode ser considerado covardia, Claire resolveu chamar Megan, que segundo ela tem uma “voz pura”, para conceder uma entrevista em seu lugar. Foi fácil para a Sr. Underwood persuadi-la a realizar seu desejo, e claro, estratégico, porém não deixo de destacar que foi covarde de sua parte.

Agora temos uma imagem clara do que Rachel representa na vida de Doug. O ex-alcoólatra confessou, numa das reuniões que participa, um sentimento sem sentido pela jovem, e mostrou que sua presença viciante está atrapalhando muito sua vida. Frank percebeu a mudança de comportamento de seu braço direito e achou que este fato estava relacionado ao retorno ao mundo das bebidas, o que de fato não aconteceu. Mas acho que este problema poderá ser ainda pior do que se fosse com o álcool.

Álcool que foi um fator importante na cena entre Frank, Claire e Meechum. Frank sempre olhou diferente para seu segurança, mas definitivamente não achei que uma relação envolvendo o vice-presidente, sua esposa e o jovem poderia acontecer. O relacionamento de Frank e Claire entre as quatro paredes sempre foi uma incógnita, mas agora sabemos o motivo.

Ao entregar os registros de suas viagens e as do presidente Garrett, Frank certamente não estava pensando apenas em livrar-se das acusações, mas talvez de criar maiores problemas para o Chefe de Estado norte-americano. Remy, ao invés de atacar, resolveu proteger Sharp, e Underwood percebeu sua estratégia. E o que dizer da cena final entre Frank, Claire e Meechum? Faltando apenas dois episódios para o fim da segunda temporada, House of Cards mostrou que ainda tem muita lenha para queimar.
Patreon de O Vértice