Hannibal 2x10 – Naka-Choko

Hannibal 2x10 – Naka-Choko

I never felt as alive as I did when I was killing him.

Depois de acompanhar a metamorfose de Will, os acontecimentos desse episódio pareciam uma mera questão de lógica, consequência do que ele se tornou, mas eu não consigo evitar desconfiar de algumas coisas que nos foram apresentadas aqui em Naka-Choko.

Gosto muito desse formato da série de, em alguns momentos, nos mostrar a mesma cena com ângulos diferentes. Optaram por esse artifício no início do episódio, na cena em que Will mata Randall com suas próprias mãos. “Foi íntimo”, ele disse sobre o acontecimento, e o fato de ele ter imaginado Hannibal do lugar de Randall denuncia a natureza dessa intimidade.

Como disse na review anterior, tenho para mim que Will sempre teve esse desejo ou, quem sabe, essa curiosidade com relação a tirar a vida de alguém. Além de entender a mente dos assassinos e de fantasiar o ato de outros, ele também se mostrou bastante confuso diante do ocorrido com Garret Jacob Hobbs, imerso no misto entre horror diante do que tinha feito e horror diante do fato de ter gostado do que tinha feito.  A questão é que Will, como mostrou ao longo da série, tem plena capacidade de matar, mas o que ele fez nesse episódio vai além de tudo o que ele fizera até aqui.

This is my design. Dessa vez o perfil traçado foi o dele próprio. É claro que não podemos esquecer a carga de envolvimento de Hannibal na história, que para início de conversa foi quem mandou Randall matar Will, mas não é difícil acreditar que Graham tenha arquitetado o design sozinho, afinal de contas, ele tem experiência no que diz respeito a passar uma mensagem com um cadáver.

Considerando o assassinato de Randall e a forma como ele se fez público, acreditar que Will e Hannibal jantaram a Freddie não é muito difícil, mas eu tenho cá minhas dúvidas. Se Will, no início do episódio, fantasia ele próprio matando Hannibal, por que diabos ele tentaria criar um vínculo de amizade verdadeiro e duradouro com o canibal? A única explicação lógica é que Graham também não desistiu dos jogos mentais e está lançando mão dessa estratégia para tentar “quebrar” Hannibal.

Me parece perfeitamente possível que Will tenha conseguido conversar com Freddie depois de tê-la arrastado para a sua casa. É claro que a situação é complicadíssima e acreditar em Will dentro daquelas circunstâncias era praticamente impossível, mas a jornalista já dava sinais de que acreditava na versão Hannibal, the cannibal. Se bobear, Freddie até ajudou Will a abater um porco para o jantar com o Dr. Lecter.

Não gosto de ser categórica com nada quando se trata de séries como Hannibal – até porque o Bryan Fuller já provou que fazer um tsunami em nossas mentes é um de seus esportes favoritos – mas não consigo imaginar um cenário possível em que Will tenha desistido de sua vingança. Se ele não puxou o gatilho contra a cabeça de Hannibal quando teve a oportunidade é porque ele queria que o canibal fosse reconhecido publicamente por quem ele realmente é. Além disso, toda vez que temos a oportunidade de visualizar os pensamentos de Will nos deparamos com o ódio que ele sente por Hannibal, vide as cenas de sexo e de assassinato de Randall desse episódio.

P.S.1: Hannibal citando sua irmã: </3
P.S.2: A história de Margot e Mason tende a se tornar ainda mais interessante nesses episódios finais.

Promo do episódio 2x11 - Ko No Mono
Patreon de O Vértice