Continuum 3x07/08 – Waning Minutes/So Do Our Minutes Hasten

Continuum 3x07/08 – Waning Minutes/So Do Our Minutes Hasten

“Cada um é nós é julgado pelo que deixa para trás.”

A curiosidade de Waning Minutes é que o episódio se passa quase que inteiramente no período natural de Kiera. No momento em que ela avistou um antigo membro da Liber8 que foi morto por ela e Carlos, ela teve uma lembrança que consistia numa missão em que ela tinha que levar o próprio Jaworski para determinada prisão. Durante o trajeto, ocorreu um acidente e eles ficaram presos numa comunidade agrícola. Foi um episódio interessante, porém um tanto quanto parado e até mesmo dispensável. Foi legal ver o primeiro contato de Kiera com Kagame e Sonya... Alguns pontos pelos quais pudemos perceber que o futuro está bem longe de ser perfeito. Uma simples e pequena comunidade agrícola sendo exterminado pelo governo...

Kagame é um troll bem esperto. Ele se feriu e usou o seu sangue para contaminar a maçã e, consequentemente, ferrar a comunidade. Os ideais de Sonya, que era apenas uma médica sem muitas ambições, foram estabelecidos naquele momento em que ela viu a explosão da comunidade. Mas, enfim, este foi um episódio que, a meu ver, não merece tanta atenção assim.

Já o So Do Our Minutes Hasten mostrou que a empresa Sonmanto é mais repugnante do que todo mundo pensava. Ela acabou sendo responsável pela morte de 12 pessoas, simplesmente para obter mais lucro com negócios futuros. Que empresa mercenária, hein? Eles devem ter muito recalque da Coca-Cola...

O plano dela girou em torno da contratação de um mercenário, que era ex-operações especiais da marinha. E ele foi contratado para jogar a culpa em cima da inocente (pelo menos nesse episódio) Liber8.

Dillon se mostrou cada vez mais obcecado com a ideia de acabar com a Liber8. Com isso, não teve nem um pouco de bom senso com as ideias e teorias demonstradas por Carlos e Kiera. Convenhamos que, como o cara teve coragem de colocar até mesmo a sua própria filha como agente dupla, muitas dessas atitudes ainda virão por parte do inspetor. E olha que deu certo essa jogada dele: a Liber8 quer recrutar a garota.

O empresário Alec foi o maior troll do episódio, enganando a todos (menos o Dilon) na demonstração do seu dispositivo Halo, um dispositivo que supostamente teria sensores avançados, com algoritmos que se conectam com os servidores da Piron, pretendendo ajustar, melhorar e diagnosticar as pessoas em questão de segundos. Porém, na verdade, o diagnóstico dele na sala de reunião não foi nada menos do que uma suposição com base no seguro do empresário. Pelo menos com essa trollagem ele conseguiu recursos e um prazo de dois meses para a conclusão do projeto...

Kellog, com o seu poder de persuasão, convenceu Jason a voltar às origens e retornar para Piron para trabalhar com o seu pai. O momento em que Alec o chamou de filho foi muito bizarro. Ri muito nessa cena.

O encontro de Curtis com Kellog também foi um tanto quanto cômico. O cara quase teve um enfarto quando percebeu que aquele que estava diante dele era de fato o seu antigo companheiro de Liber8. Curtis é o homem enigmático da conspiração. inguém sabe onde, quando e o que ele vai fazer. Só sabemos que não é coisa boa.

Enfim, a parte cômica do episódio foi muito boa, mas os roteiristas deviam ter pensado que estava engraçado demais.

Betty se mostrou bastante esforçada e disposta a ajudar Carlos e Kiera durante todo o episódio. Muita confiança da parte dela... Mas conseguiu a retirada do dispositivo de rastreio e estava fazendo tudo certinho. Esses roteiristas fizeram de tudo para que a nossa empatia aumentasse para com essa personagem. Eu já estava até me perguntando o porquê disso. E eis que minha pergunta foi respondida no final: eles mataram a personagem que estava se desenvolvendo. E até que eu gostava dela...
Patreon de O Vértice