Chicago PD 1x15 – A Beautiful Friendship [Season Finale]

Chicago PD 1x15 – A Beautiful Friendship [Season Finale]

Como lidar com aquela sensação de que ficou faltando alguma coisa?

“A Beautiful Friendship” passou longe de ser um episódio ruim, mas também não foi aquela coisa que eu esperava ver em uma season finale. Terminei de assistir ao episódio e fiquei uns quarenta minutos com a sensação de “foi só isso mesmo?”. Acho que eu estava esperando uma tragédia de grande impacto, e não esse final com cara de novela das oito.

Antes de falar do episódio em si, tenho que dizer que essa primeira temporada foi boa. Vimos episódios incríveis, vimos aqueles medianos e vimos também alguns outros como o dessa semana, que eu não sei definir se gostei ou não. Espero que a série siga os caminhos de Chicago Fire e evolua bastante na segunda temporada (temporada essa que vai ser completinha, com no mínimo 22 episódios, yay!).

Todo o arco do dessa finale girou em torno do fantasma do passado de Lindsay, Charlie. Não basta ele ter voltado apenas para atormentar a detetive, ele também teve que se meter em um assalto e quis a ajuda dela para isso (com a premissa de que, se ela não o ajudasse, ele contaria algo que nem mesmo o Voight sabia).

Eu já tinha criado várias teorias na minha cabeça sobre esse grande segredo que Charlie sabia sobre Lindsay, mas a única coisa que não imaginei era justamente o tal segredo fosse que ela e a amiga estavam metidas em um assassinato. Annie, a amiga, matou o tal Sandoval e Lindsay se livrou do corpo. Todo mundo sabe sobre a relação que Lindsay tem com o Voight, então realmente achei que ele sabia que ela ocultou um cadáver.

Todos os esforços de Lindsay para evitar que o segredo viesse à tona foram válidos, mas eu não via a hora de ela contar tudo para o Voight e o deixasse resolver essa confusão. Fiquei muito feliz quando Jay deu esse valioso conselho. Com Voight já a par de tudo, Charlie foi pego e a Lindsay finalmente pode confrontá-lo daquela maneira que todos queriam ver, e ainda conseguiu evitar que ele falasse do tal assassinato. A moral desse plot foi só para termos uma ideia mesmo do quão complicado o passado de Lindsay é e também para dar um up na relação dela com o Jay, que andava meio morna nos últimos episódios.

Ainda falando de Lindsay, vimos que sua protegida Nadia saiu da rehab e está poderosíssima. Até esse episódio, eu não tinha percebido que gostava tanto assim dela. Adorei vê-la ajudando a inteligência ao dar dicas sobre onde seria o tal lugar lá. Super acho que Nadia tem tudo para seguir o caminho de Lindsay a risca. Não duvido nada que já já ela entre para a policia. Até um possível affair dentro da unidade ela já arrumou, gente. rs

O possível affair de Nadia é o agora solteiro, já que foi largado pela esposa, Antonio. Toinho precisa se benzer urgentemente, porque nada dá certo para ele ultimamente. Primeiro o filho foi sequestrado, depois ele foi baleado. Agora, a esposa o deixou. Sem contar que a irmã dele está entre a vida e a morte lá na finale de Chicago Fire, né?

Burgess brilhou muito nessa finale e não se deixou abater por ter perdido a vaga na inteligência. Achei que ela fosse dar uma ignorada bonita no Ruzek, já que ele é o responsável por tudo, mas ela ligou o botão do foda-se e resolveu se jogar nos braços dele depois da linda declaração. Não tem Voight e vaga na inteligência que segure esse casal.

A morte do Jin foi uma coisa que não me chocou. Ele mal aparecia, então não vai fazer falta. A situação foi criada para ser o grande choque da finale, mas, particularmente, acho que o tiro saiu pela culatra. Agora, a grande questão estilo novela das oito que fica é: quem matou Jin? Será que foi o Voight, que estava chateadíssimo após descobrir a traição do japa? Ou será que foi o cara da corregedoria? Ou será que não foi nenhum dos dois? Façam suas apostas... E até próxima temporada!

P.S.: Adoro a sinceridade do Olinsky. Quando ele disse para o Atwater que a Burgess merecia o cargo mais do que ele, quase que morri de rir.
Patreon de O Vértice