Chicago PD 1x12 – 8:30 PM

Chicago PD 1X12 – 8:30 PM

“Chicago will bounce back. She always does.”

“8:30 PM”  veio para provar que Dick Wolf é o cara mesmo. Já não basta ter feito um crossover incrível, ele ainda foi capaz de introduzir a ideia de um novo spin off que tem tudo para ser outro sucesso se realmente for concretizado.

Os acontecimentos vistos nesse episódio tiveram inicio em “A Dark Day”, de Chicago Fire. Uma bomba explodiu no Chicago Medical e nossos detetives tiveram a missão de descobrir que eram os responsáveis. A confusão toda foi causada devido a um rapaz que teve a família destruída em um caso que envolvia o departamento de polícia e os bombeiros. 14 anos depois, ele resolveu se vingar e declarar guerra. Tenho que frisar que adorei como cada série lidou com o caso. Em Chicago Fire, tivemos o lado emocional sendo abordado em cada um dos resgastes. Já Chicago PD cumpriu bem o papel investigativo e conseguiu me deixar aflita durante 42 minutos. E ainda teve espaço para mostrar um pouco dos médicos de Chicago.

Tem como não amar Hank Voight? Sério. Você pode até não gostar de suas atitudes dúbias e muitas vezes até corruptas, mas não dá para dizer que não é uma maravilha vê-lo maltratando um maldito que armou bombas que matou criancinhas fofas. O cara é tão foda que nem o FBI é capaz de pará-lo. Com a cidade dele, ninguém mexe e fim de assunto.

O jeito como todos os integrantes da inteligência lidaram com o caso também foi excelente. Cada um teve seu espaço, até mesmo o Jin que não aparece muito. Ele foi extremante essencial para a resolução satisfatória de tudo e eu já consigo vê-lo tendo mais destaque a partir de agora. Também foi muito ver o jeito protetor de Voight com a sua equipe. Ele todo fofo consolando Burgess e se certificando que Lindsay estava bem após quase ter a garganta cortada foi um dos momentos que encheu meu coração de felicidade.

Todos os plots começados em Chicago Fire foram fechados de uma ótima maneira, nada foi deixado de lado. Durante uma rápida conversa entre Antonio e Casey, ficamos sabendo que Dawson está bem (já tinham deixado isso claro em CF, mas é sempre bom confirmar, né?). Shay, depois de bancar a heroína, foi hospitalizada e ficará bem. E aí chegamos ao caso das menininhas Zoe e Imogene, que partiram meu coração em cada cena. Foi muito difícil ter que assistir uma morrendo para que a outra pudesse ser salva. Durante toda essa triste situação, me apeguei muito à irmã da menina Zoe e já a quero como protagonista no desejado spin-off Chicago Medical.

Eu sou uma pessoa muito suspeita para falar dos casais que foram mostrados nesse crossover. Amo Lindsay com o bombeiro Severide e adoro o quase casal formado por Burgess e Ruzek. Então, vocês já sabem que as cenas entre os casais me deixaram muito feliz... Achei que todas elas foram bem pontuais e que mostraram um bom desenvolvimento entre ambos. Agora, só nos resta torcer para que Ruzek termine logo o seu noivado.

P.S.1: Considerando que Voight não é uma pessoa muito querida no batalhão 51, podemos dizer que aperto de mão entre Chefe Boden e Voight foi O MOMENTO do episódio. Serviu para mostrar que, na hora de uma tragédia como essa, até os “inimigos” tem que se unirem.
P.S.2: Depois de desarmarem uma bomba, Mills e Cruz salvaram a vida de Lindsay. Esses dois realmente tiveram um dia de herói.
P.S.3: Adorei quando o Antonio meteu o chute no meio dos peitos daquele nojento racista.
P.S.4: O que dizer sobre o Olisnky de boa comendo sua tangerina enquanto o Voight torturava o carinha lá? HAHAHAHAHAHAHA!
Patreon de O Vértice