Chicago Fire 2x20 – A Dark Day

Chicago Fire 2x20 – A Dark Day

Acredito que o significado de tensão foi redefinido após esse episódio.

“A Dark Day” definitivamente é o melhor episódio já apresentando pela série até aqui. Foi tenso do começo ao fim e ainda cumpriu bem a missão do crossover, já que deixou várias histórias para serem resolvidas em Chicago PD de uma maneira excelente.

O Chicago Medical estava realizando uma corrida beneficente. Casey e Dawson estavam lá para ajudar e participar do evento, assim como Kim Burgess (de Chicago PD). O Clima era de felicidade geral, criancinhas inocentes brincando com balões para o todo lado, até que do nada uma bomba explodiu e me deixou simplesmente perplexa. Confesso que me senti assistindo a The Walking Dead nas primeiras cenas após a explosão. Era muito caos para pouco episódio. O coitado do Casey não sabia a quem ajudava.

Vários casos paralelos devido à explosão foram formados. O que mais mexeu comigo foi o das criancinhas. Meu coração era partido em pedacinhos em cada cena que envolvia alguma dessas fofas. Uma delas precisava de um transplante de fígado e a outra tinha uma concussão. Foi desesperador ver aquele médico fazendo de tudo para achar um órgão compatível. No final de tudo, eu só queria mesmo abraçar a Burgess e dizer para ela que tudo ficaria bem.

Os bombeiros do 51 estavam fazendo as buscas para encontrar vítimas sobre os escombros, até que Casey percebeu que a Gaby poderia ser uma delas, já que ela estava dentro do hospital quando ocorreu a explosão. Ai foi aquela agonia até acharem a paramédica. Achei que Casey e Severide foram imprudentes ao se colocarem no meio dos escombros daquela maneira. Já pensou se desabasse? Seria mais uma tragédia. Depois de várias buscas eles a encontram e a comemoração de todos os bombeiros diante a notícia foi a cena mais bonita de todo o episódio, foi uma definição bem singela da união de todos eles.

Mills, Cruz e o Chefe Boden foram os grandes heróis do episódio, pois conseguiram evitar que a tragédia fosse ainda maior. Não consegui nem raciocinar direito em todas as cenas em que eles estavam prestes a tentar desarmar a bomba, mesmo sabendo que ela não iria explodir, afinal não matariam três personagens regulares assim de uma vez só.

As atitudes de Shay foram um misto de burrice com vontade de ajudar. Achei linda a coragem dela de continuar ajudando a todos mesmo machucada, mas foi muita idiotice. Ela é uma paramédica e com certeza sabia que ficar com aquela ferida aberta jorrando sangue não terminaria em coisa boa. E o pior de tudo é que em cada cena ela ficava mais pálida e com os olhos cada vez mais vermelhos, não teve um médico que percebesse que ela não estava bem. Logo após receber a notícia de que Dawson estava bem, Leslie desmaiou e obrigou até aqueles que não assistem Chicago PD a ver o episódio continuação do crossover para saber como isso tudo vai terminar.

P.S.1: Quem aí acha que outro spin-off está á vindo por aí? Depois da série sobre os policiais, só está faltando a série sobre os médicos mesmo. Achei que toda a parte hospitalar teve bastante destaque e adoraria se uma nova série ali acontecesse mesmo, pois adorei cada um dos médicos que foram mostrados.
P.S.2: Hermann teve sua estreia como tenente logo numa tragédia dessas. Bela maneira de começar, não é?
P.S.3: Mesmo com toda a tensão da cena, não me contive e soltei uma gargalhada daquelas quando o Mills mandou, com todo o respeito, o Boden calar a boca.
Patreon de O Vértice