A Exploração das Fábulas nas diversas mídias

Exploração das Fábulas


Hoje em Hollywood, e em todas as mídias, é claro, temos a procura pelo fácil e pelo barato, para a chances de lucros se tornarem maiores, as apostas financeiras para se criar uma obra sempre são enormes e por isso um atalho é sempre interessante, e talvez por isso a Exploração das Fábulas pelas mídias está maior do que sempre foi.


Desde bem pequenos temos contato com as histórias que fazem parte do mundo infantil, qual é a menina que não ouviu falar da Branca de Neve e sua madrasta e qual o menino achou legal o Peter Pan não se tornar adulto? A partir dessas Fábulas outras vão nascendo e criando “personalidade” própria e boa parte desse novo ciclo de contos surge da indústria do entretenimento e é disso que vamos falar. A exploração de grandes narrativas de apelo emocional e alta popularidade na intenção de multiplicar lucros e de certa forma manter o comodismo, já que geralmente o que vemos produzido tem como base características, para nós, bem conhecidas, portanto, mais fáceis de serem produzidas e assimiladas.


Além do conhecimento, as fábulas estão em domínio público, portanto qualquer estúdio pode se aproveitar delas e usá-las da maneira que bem desejar, de fato, até eu e você podemos usar qualquer fábula comercialmente e há de convir que usar personagens pré-estabelecidos no coletivo popular de graça é uma enorme facilidade para qualquer um.


f5OF1m8Jj0MRIrKkAH9Y0mViGeX



Fábulas no Cinema


Seguindo esse caminho, nos vemos atualmente cercados de muitas adaptações aos cinemas de grandes histórias que envolvem esse universo, tais como: Espelho, Espelho Meu, Branca de Neve e o Caçador, Oz: Mágico e Poderoso, Cinderela, Encantada, João e Maria: Caçadores de Bruxas, Jack - O Caçador de Gigantes, Alice no País das Maravilhas, e o ainda inédito Maleficent e olha que nem fui muito longe para lembrar esses filmes. Cada produção explorando a seu modo um conto já conhecido, usando novos temas, mas que no fim das contas tem a mesma moral ou ideia central. Fica evidente o quanto essas adaptações podem ser lucrativas para os estúdios que, sem se esforçar muito em criar algo totalmente novo, arrecada milhões e milhões.


A galinha dos ovos de ouro foi descoberta e ela está sendo explorada até a última gema, afinal sempre haverá público para ver uma nova versão da Cinderela ou um novo Mágico de Oz, que por sinal em Oz - Mágico e Poderoso do diretor Sam Raimi arrecadou muito mais US$ 490 milhões para os cofres da Disney. Isso sem falar no também recente Alice no País das Maravilhas, de Tim Burton que entrou para o Top 10 de Bilheteria e rendeu mais de 1 bilhão aos cofres da sortuda Disney.


Relacionado: A HQ de Fábulas será adaptada aos cinemas


Porém o que também se percebe é que quanto maior a popularidade da fábula mais sucesso ela faz, provavelmente pelo apelo emocional.


Bom, com relação aos filmes acho que ainda teremos muitas adaptações a assistir pela frente, porém com um mercado que tem parecido estar saturado é importante manter um bom nível de qualidade nas produções e é claro saber escolher muito bem de que maneira e qual fábula adaptar. Só em animação teremos o filme Frozen da Disney, que adaptará a Fábula dinamarquesa A Rainha da Neve, no live-action existem planos para mais dois “Brancas de Neve” em estúdios diferentes, Maleficent que conta a história da Bela Adormecida através dos olhos da vilã, uma sequencia para Oz – Mágico e Poderoso e outro filme baseado em Oz, e ainda um novo filme da Cinderela, esses só para falar dos já confirmados.


Mas não são só nos cinemas que isso acontece, basicamente em todas as mídias as Fábulas estão sendo utilizadas como se não houvesse amanhã, especialmente em séries de TV.



As Fábulas na TV


[row][column size="1/3"]Exploração das Fábulas[/column][column size="2/3"]


No mundo das séries vemos o seriado britânico Once Upon a Time, da ABC e que por aqui é exibido no canal pago Sony ganhar cada vez mais popularidade, tanto que no fim desse ano temos a estreia da terceira temporada. O seriado, ao contrário dos filmes onde uma história só é explorada, esmiúça mais de uma dando a série uma gama de contextos e personagens que quem pega no meio do caminho se perde. Nela vemos Princesas, Príncipes, lobos, gigantes, bruxas e muito outros personagens todos saídos dos mais famosos contos infantis.


Alias o sucesso de Once Upon a Time é tão grande, que a ABC já encomendou um Spin-Off para explorar apenas a história de Alice, a menina do país das maravilhas em Once Upon a Time in Wonderland.


Crítica: Episódios de Once Upon a Time


Outra série que também faz uso desses elementos, porém usando mais para o lado do suspense é Grimm, que por sinal remete aos irmãos Grimm, que como nós sabemos são responsáveis por inspirar muitas dessas histórias “infantis”.


Num lado mais romântico, a Bela e a Fera está (mal) adaptada na TV através da série Beauty and the Beast, coma atriz Kristin Kreuk, a eterna Lana Lang de Smallville no papel de Bela.


Recentemente também foi divulgado que O Mágico de Oz ganharia pelo menos duas séries, uma delas que seria uma série médica (??), mas enfim essa é mais uma das provas do quanto esse universo é dissecado em todos os campos do entretenimento.


[/column][/row]



Fábulas nas Outras Mídias


[row] [column size="2/3"]


Em mídias diferentes, o maior expoente das Fábulas hoje é a HQ da Vertigo chamada... Fábulas. Hoje Fábulas é uma das séries em quadrinhos mais elogiadas que ainda estão em produção e assim como nas séries de TV, tem alguns spin-of de sucesso um pouco menor em paralelo. Vale dizer que Fábulas ganharia uma série de TV se Once Upon a Time não tivesse sido criada primeiro, os produtores desistiram da adaptação pela semelhança do tema, mesmo que o conteúdo seja completamente distinto.


Crítica: Fábulas vol.1 – Lendas no Exílio


Outros quadrinhos também foram pelo caminho de explorar esses personagens e universos como o de 2005 Grimm’s Fairy Tales, da Zenescope, que trás histórias sobre diversas fábulas, famosas ou não. A série ainda rendeu um Spin-Off também baseado em Alice.


O próprio Once Upon a Time está seguindo pelo caminho inverso, de virar também um quadrinho em paralelo com a série de TV.


Na literatura nacional temos a trilogia Dragões do Éter de Raphael Draccon que também trata do tema. Outros contos e romances abordando contos de fadas são igualmente abundantes em todas as literaturas.


Nas artes mais jovens, como os Jogos de Videogame já vimos alguns jogos explorando as Fábulas com certa eficiência, como aconteceu com Alice Madness Return, um jogo de terror que tem a Alice como protagonista. Okami, que é uma fábula japonesa sobre a deusa Amaterasu. Atualmente até a Telltale Games, estúdio premiadíssimo, está investindo no tema, com uma adaptação livre da HQ Fábulas da Vertigo, onde vamos encarnar o Bigby Wolf no promissor e já elogiado The Wolf Among Us.


Relacionado: Primeiro trailer de The Wolf Among Us


Enfim, vamos ser avós e as grandes mídias ainda usarão as Fábulas para produzir entretenimento em qualquer segmento, os quais deixarão cada vez mais gordos os seus cofres e nós como telespectadores desse mundo de evoluções, lá, possivelmente achando legal a nova Alice ou achando o ator que vive o novo Peter Pan com muita cara de velho. Adaptando bem, que mal tem?


[/column]


[column size="1/3"]fábulas-hq[/column] [/row]


fábulas-end


*Matéria feita em conjunto pela Equipe Eden Pop.


[divider top="no"]


Patreon de O Vértice