Biblioteca do Eden - Machado de Assis

Prezados leitores, observando o ainda curto catálogo da nossa biblioteca tive uma leve surto ao perceber que ainda não colocamos nenhum clássico na nossa estante. E o que é uma boa biblioteca se não livros que são ou que estão destinados à ser clássicos? Então decidi resolver este problema com o principal autor da literatura brasileira, Machado de Assis.


Toda a obra de Machado de Assis é excelente, mas vamos nos ater à fase realista do autor, afinal, se ele mesmo deixou a romântica de lado é por que não era grandes coisas. Deixando as piadinhas de mau gosto de lado, a fase realista de Machado de Assis é fascinante. Em primeiro lugar traça um panorama perfeito do Rio de Janeiro do final do século 19. A descrição do ambiente, a caracterização da sociedade, roupas, costumes, tudo serve para apresentar um retrato vivo de sua época. É praticamente um documentário da história do Brasil. Outro ponto forte é o próprio estilo de escrita. Frases curtas e diretas, sem rodeios. Machado de Assis tem uma escrita quase dual, é impressionante a sua capacidade de ser subjetivo com frases tão diretas. Finalmente, a característica fundamental que faz a fase realista valer a pena. Seus livros são fortemente psicológicos e seus personagens são extremamente profundos. Ciúmes, inveja, orgulho, depressão, sarcasmo, pessimismo, entre outros, são dissecados na obra de Machado de Assis. Cabe ainda lembrar que seus livros foram escritos antes de Freud, e portanto, o próprio conceito de "psicológico" não era claro. Essa caracerística é o  que torna seus livros tão fascinantes e atuais. Apesar das mudanças sociais, a psique e os desejos humanos não mudam.


Vamos então ao que interessa, e incrementar a nossa biblioteca. Como não fui capaz de me decidir por qual livro colocar na estante, resolvi enfiar o pé na jaca e fazer um "potpourri" do autor.


Memórias Póstumas de Brás Cubas:
A própria premissa do livro é genial. Um morto resolve narrar a sua autobiografia, começando com a seguinte frase:" Ao verme que primeiro roeu as frias carnes do meu cadáver dedico com saudosa lembrança estas memórias póstumas". Considerado o precursor do realismo no Brasil, ainda é considerado por alguns o primeiro livro de fantasia brasileiro. Extremamente sarcástico e irônico Memórias é uma crítica à sociedade, à escravidão e ao positivismo (ainda temos alguns templos positivistas aqui no Brasil). Neste livro é apresentado o Humanitismo, a pseudofilosofia criada por Machado de Assis. Na minha opinião é o livro mais cômico e divertido do autor.


Quincas Borba:
Quincas Borba é uma espécie de continuação do romance anterior, mas ao contrário dos outros dois citados neste texto, é narrado em terceira pessoa. O livro conta a história de Rubião, herdeiro da filosofia de Quincas Borba, o Humanitismo. Este livro é uma crítica ainda mais pessimista e irônica à sociedade e ao pensamento cientifico da época.


Dom Casmurro:
Considerado por muitos a obra prima de Machado de Assis, Dom Casmurro é narrado pelo seu personagem principal, Bento, que recebe o apelido de Dom Casmurro pelo seu mau humor. O livro é escrito como lembranças do casmurro, e aí abrem-se as portas para a característica psicológica. Como são lembranças do próprio, a descrição dos fatos é recheada de nostalgia, remorso, rancor e angústia. Os eventos são centrados na sua relação com Capitu, que conheceu na adolescência e com quem se casou. A história se desenrola finalmente para a famosa suposta traição de Capitu com o melhor amigo de Bento, Ezequiel. Por ser contada pelo próprio Bento, a narração é naturalmente tendenciosa, e somada à culpa, remorso, e ciúmes de Bento, torna impossível determinar se a traição realmente ocorreu.


Contos de Machado de Assis:
Agora complica, qual deles? Sinceramente, qualquer compilação decente de contos de Machado de Assis vale. Pode até ser comentada, aquelas mesmo que lançam nas vésperas de concursos vestibulares. Seus contos são, na minha opinião, o supra sumo da análise psicológica de Machado de Assis. Os meus preferidos são "Um Homem Célebre", e "O Alienista".


Enfim, temos aí nossos quatro mais novos exemplares na Biblioteca do Eden. Machado de Assis é leitura obrigatória, por ser o fundador do realismo no Brasil; por ter um humor sarcástico, antes de Douglas Adams; por escrever romances psicológicos antes da psicologia; por ser um exemplo à ser seguido de criação de personagens.


Adicione à sua biblioteca Memórias Póstumas de Brás Cubas, Quincas Borba, Dom Casmurro e Contos de Machado de Assis.

Patreon de O Vértice